Em outubro, o Gizmodo noticiou que um casal de Indiana, nos Estados Unidos, foi acusado por desviar US$ 1,2 milhão em mercadorias da Amazon, se aproveitando da política de reembolso da empresa. O Gabinete do Procurador-Geral dos EUA para o Distrito Sul de Indiana anunciou, nesta terça-feira (5), que o casal Erin e Leah Finan foi condenado a quase seis anos de prisão cada um.

• Um Amazon Echo gravou conversa entre casal e a enviou para outro usuário
• Pesquisadores de segurança criaram uma “habilidade” que permite à Alexa te espionar

Há muito tempo se definindo como “obcecada pelo cliente”, a Amazon é famosa por sua política de reembolso incrivelmente branda — algo de que os Finans ficaram felizes de abusar. Ao alegar de maneira fraudulenta que os produtos adquiridos, que incluíam itens de alta revenda como “câmeras digitais GoPro, Xboxes, smartwatches Samsung e tablets Microsoft Surface”, estavam quebrados, o casal conseguiu obter os dispositivos (funcionando muito bem) por meio de um terceiro envolvido chamado Danijel Glumac. Nesta terça-feira (5), ele também foi condenado, mas a dois anos de prisão.

As sentenças de Erin e Leah, de 71 e 68 meses, respectivamente, podem parecer extremas por roubar uma das empresas mais valiosas do mundo — mesmo que o tenham feito conscientemente, repetidamente e excepcionalmente bem ao longo de mais de dois anos. Como o Departamento de Justiça observa, no entanto, fraude era “um modo de vida” para os Finans, e a Amazon estava longe de ser o único alvo do casal:

Eles emitiam cheques sem fundos. Alugavam carros, mas nunca pagavam por eles. Alugavam casas, mas nunca pagavam o aluguel. E eles até cometeram uma outra fraude online envolvendo o roubo de equipamentos de softball de aluguel de ponta, vendendo-os em grupos no Facebook para pais de crianças que gostavam de softball.

De sua parte, a Amazon supostamente tem banido os clientes — às vezes com pouco ou nenhum aviso — que efetuam muitos retornos ou que são vistos como um “aborrecimento”.

Os Finans e Glumac foram ordenados a pagar de volta os US$ 1.218.504 de seus ganhos ilícitos.

[Departamento de Justiça dos EUA]

Imagem do topo: Jeff Bezos, CEO da Amazon (Getty)