Quando a Apple quer comprar sua fazenda, a escolha é sua se vale a pena meter a faca na maçã. No caso, a família Fulbright pediu 1,7 milhão de dólares pelo terreno na Carolina do Norte, que fica ao lado do futuro data center do iTunes.

34 anos atrás, esse mesmo terreno custou à família míseros 6 mil dólares, que eles compraram para criar a nova família que estava por vir. Quando a Apple bateu a porta, eles não quiseram vender de jeito nenhum, até a Apple aparecer com um cheque em branco e dizer “vamos, digam o preço”. Eu não sou especialista em preços de propriedades, mas tenho certeza que um acre de terra (pouco mais de 4 mil metros quadrados) não valem nem um décimo do preço pago pela Apple – pelo menos na Carolina do Norte.



Depois de aceitarem a proposta, a família tem agora apenas 49 acres e uma conta espumando dinheiro. Ah, você ficou com inveja da visão futurista dos Fulbrights, não é mesmo?

O vídeo acima mostra o iminente data center da Apple visto do céu, com 46 mil metros quadrados, e que será finalizado até o fim do ano. Eu não deveria ter de explicar a razão da criação desse monstro, mas é só juntar o tico e o teco, mais algumas nuvens no céu, e entender a ideia. Deem boas vindas ao data center do futuro iTunes na nuvem!

Se a Apple quiser abrir um data center em, sei lá, Jaguariúna, eu passo os contatos da minha família para Steve Jobs. Meu avô ficaria triste em vender aquela bela chácara, mas tenho certeza que ele ia adorar ligar o Game Shark na conta do banco. E, oras, seria legal uma fábrica da Apple do lado da Motorola, não? Espionagem, a gente se vê por aí. [Bloomberg via 9to5Mac]