O vulcão que destruiu Pompeia em 79 d.C. afetou tanto cidadãos da Roma Antiga como seus animais, como uma impressionante descoberta mostra.

Arqueólogos descobrem cavalo de 30 mil anos atrás praticamente intacto

Os restos de um cavalo, com seus arreios e selas ainda presos, foram descobertos na Vila dos Mistérios, no parque arqueológico de Pompeia, na Itália, segundo reporta a BBC. A antiga vila de luxo é uma propriedade suburbana bem preservada nos arredores de Pompeia, sem saída para o mar. Massimo Osanna, o diretor geral do parque, disse que o cavalo provavelmente pertencia a um militar de alta patente, possivelmente um general ou algum magistrado militar de alto nível.

Em 79 d. C., o Monte Vesúvio entrou em erupção, destruindo a cidade romana e deixando apenas pedras e cinzas. Uma nuvem densa e rápida de gás quente e detritos fez com que muitas pessoas morressem — seus corpos foram encontrados na posição em que estavam. Milhares de moradores foram mortos durante a erupção, muitos deles, inclusive, estavam tentando deixar o local. De fato, a condição deste cavalo recém-descoberto, com seus arreios e sela presa, sugere que o animal estava sendo preparado para a evacuação.

Junto com a sela e os arreios, os arqueólogos encontraram fragmentos de madeira e aparas de bronze, além de outros dois cavalos puro-sangue, segundo a BBC. A Vila dos Mistérios e seu estábulo ficavam na periferia norte da cidade.

Como muitos moradores de Pompeia, os cavalos provavelmente tiveram um “fim feroz e terrível” nas palavras de Osanna, sendo sufocados pelas cinzas e o calor das nuvens quentes e nocivas do gás vulcânico. Arqueólogos têm explorado os restos da Vila dos Mistérios, um patrimônio mundial da Unesco, desde 1909, mas a nova descoberta mostra que ainda há muito a ser revelado.

[BBC]