Ok, Google, nós sabemos que o Honeycomb mal chegou ao mercado — apenas o Xoom, da Motorola, está oficialmente à venda nos EUA — mas nós estamos ficando preocupados com o ecossistema de aplicativos específico para tablets. Desde a troça que Steve Jobs fez com o sistema há um mês, dizendo que o iPad tinha 65 mil apps dedicados, contra 100 do Honeycomb, a situação continua praticamente a mesma, ou até pior do que a Apple afirma.

A constatação foi feita pelo desenvolvedor Justin Williams em seu blog. A busca pelos aplicativos no Xoom levou em consideração a obrigatoriedade do Android 3.0 e que utilizassem de forma real as polegadas do tablet, e não fossem apenas uma versão esticada de apps para smartphones. O resultado do filtro é alarmante: 20 aplicativos 100% nativos, sendo que alguns deles, como o Pulse, e as versões do USA Today e da CNN, são apenas versões idênticas do app para iPad.

Claro que a situação deve mudar com a chegada dos novos aparelhos de LG, Samsung e outras concorrentes — as empresas também deverão fazer um grande esforço para colocar os desenvolvedores para trabalhar — mas a concorrência será dura: além dos 65 mil apps para iPad bradados por Jobs, os desenvolvedores não param de criar inovações para a plataforma. Resta saber se o Android terá cartas na manga para atrair desenvolvedores e, consequentemente, usuários. [Carpeaqua via Electronista]