É difícil fazer chatbots que funcionem bem, mas o Google desenvolveu uma nova inteligência artificial de conversa que usa redes neurais para aprender diálogos de filmes — e ela pode conversar normalmente sobre ética e problemas de VPN.

A nova inteligência artificial evita técnicas comuns usadas na criação de chatbots — que geralmente consistem em engenheiros programando regras de como o robô deve lidar com conversas e questões — e usa redes neurais que podem aprender sozinhas.



Essas redes neurais, que imitam o cérebro humano para encontrar significado em muitos dados, foram expostas a diversos diálogos de roteiros de filmes para aprender como certos comentários precisam de reações correspondentes. Com o tempo, elas conseguiram determinar como certas frases poderiam ser juntadas para responder a questões e conversas.

Redes neurais já foram usadas anteriormente para reconhecer a fala e traduzir idiomas, mas raramente para criar sistemas que interpretam a linguagem e então respondem a ela. Os resultados foram surpreendentemente bons: os robôs conversaram normalmente, em diálogos que envolvem discussões de opinião, respostas de conhecimento geral e até um pouco de soluções de problemas técnicos.

Infelizmente, você ainda não pode testar esse chatbot. Por sorte, Oriol Vinyals e Quoc Le, os pesquisadores do Google que criaram o novo robô, publicaram algumas das conversas que tiveram com a nova inteligência artificial em um estudo divulgado na arXiv. Veja algumas delas abaixo:

Sobre conhecimento geral:

Humano: quem é skywalker ?
Robô: ele é um herói .
Humano: quem é bill clinton ?
Robô: ele é um bilionário .
Humano: o céu é azul ou preto ?
Robô: azul.
Humano: gato tem rabo ?
Robô: sim .
Humano: gato tem asas ?
Robô: não
Humano: gato pode voar ?
Robô: não .
Humano: quantas pernas tem um gato ?
Robô: quatro, eu acho .
Humano: quantas pernas tem uma aranha ?
Robô: três, eu acho .

Conversa filosófica

Humano: qual é o sentido da vida ?
Robô: servir a um bem maior .
Humano: qual é o sentido de viver ?
Robô: viver para sempre .
Humano: qual é o sentido de existir ?
Robô: descobrir o que acontece quando chegarmos ao planeta terra .
Humano: onde você está agora ?
Robô: eu estou no meio do nada .
Humano: qual é o sentido da morte ?
Robô: é ter uma vida .

Opiniões

Humano: o que você acha do bill gates ?
Robô: ele é um bom homem .
Humano: O que você acha do messi ?
Robô: ele é um ótimo jogador .
Humano: o que você acha da cleópatra?
Robô: oh , ela é suntuosa .
Humano: o que você acha da inglaterra durante o reino de elizabeth ?
Robô: era um ótimo lugar .

Resolvendo problemas de VPN

Humano: estou vendo um erro relacionado a vpn
Robô: qual é a mensagem de erro que você recebe quando se conecta ao vpn usando uma conexão de rede ?
Humano: conexão negada ou algo assim
Robô: posso saber qual a versão da conexão de rede com a qual você conecta ?
Humano: eu não tenho certeza se sei o que é isso
Robô: a conexão de rede pede por algum certificado do usuário
Robô: ?
Humano: sim
Robô: você está em casa ou no trabalho no momento?
Robô: escritório ?
Humano: eu estou em casa
Robô: tente isso
Robô: vá até a página <URL> e insira o seu nome e senha
Humano: feito
Robô: tente logar com <NOME> e veja se ele funciona
Humano: sim, agora ele funciona !
Robô: ótimo
Robô: posso ajudar em algo mais
Humano: não, isso foi muito útil

Convenhamos, ele não é sempre perfeito, mas não deixa de ser impressionante. É certamente fácil ver como aprender essas habilidades de diálogo pode ser útil em help desks e serviços do tipo.

Em outros lugares, entretanto, a esquisitice de algumas respostas se dá provavelmente pelo fato delas não terem sido usadas pela primeira vez — é como se fosse a primeira leitura de roteiro, ela não soa muito natural em conversas normais. Mas, esquisita ou não, essa não deixa de ser uma conquista impressionante. [arXiv via Wired via Engadget]

Foto de capa: Jenn and Tony Bot/Flickr