China lança primeiro módulo de sua futura estação espacial, que deve ficar pronta em 2022

Será a segunda grande estação espacial em órbita, se juntando à ISS. Previsão é que a gigantesca construção fique pronta em 2022.

Representação de como deve ficar a CSS. Imagem: Representação de como deve ficar a CSS. Imagem: Getty Images/Xia Yuan

Representação de como deve ficar a CSS. Imagem: Representação de como deve ficar a CSS. Imagem: Getty Images/Xia Yuan

A China está prestes a lançar sua primeira estação espacial como parte de um antigo projeto da agência espacial do país, que iniciou os trabalhos dessa ideia no ano de 1992. Um dos módulos principais da instalação decolou nesta quinta-feira (29). A construção, que foi batizada como Tiangong (“Palácio Celestial”, na tradução livre) mas que também pode ser chamada de Estação Espacial Chinesa (CSS, na sigla em inglês), será a segunda estação espacial totalmente operacional em órbita — a primeira é a Estação Espacial Internacional (ISS).

Com o codinome Tianhe (“Harmonia dos Céus”), o módulo decolou com a ajuda do foguete Longa Marcha 5B e partiu do Centro de Lançamento Espacial de Wenchang, na costa da Ilha de Hainan, por volta da meia-noite e meia (horário de Brasília). Ele tem 16,6 metros de comprimento, 4,2 metros de diâmetro e pesa 22,5 toneladas.

O Tianhe, que servirá como ponto central para as demais peças da estação, poderá acoplar até três espaçonaves por vez, para estadias curtas, ou duas naves, para astronautas que forem ficar por períodos mais longos. Haverá ainda braços robóticos nas laterais para ajudar a descarregar cargas que chegarão à estação e receber astronautas visitantes. Para a tripulação fixa, três astronautas poderão ficar na estação por até seis meses.

De acordo com Gu Yidong, cientista chefe do programa espacial chinês, o objetivo da CSS não é competir com a ISS em termos de escala, mas sim auxiliar as missões científicas na China. O próprio Yidong admite que a Tiangong não deve durar para sempre: a previsão é que ela tenha vida útil de 10 anos, podendo durar mais do que isso com manutenção e reparos periódicos. Para efeito de comparação, a ISS pesa cerca de 450 toneladas; a CSS, quando tiver pronta, deverá pesar aproximadamente 66 toneladas.

O foguete chinês com o módulo Tianhe rumo ao espaço. Imagem: AFP Photo

A China também prevê missões tripuladas para ajudar na montagem e finalização da estação. A primeira delas, a Shenzhou-12, deve acontecer agora em junho. Para este ano, os cientistas chineses esperam realizar um total de cinco missões, sendo que duas delas serão responsáveis pelo lançamento dos módulos de laboratório Wentian e Mengtian. Ao todo, estão programados 11 módulos principais para a CSS (já contando com o recém-lançado Tianhe).

A previsão é que a estação fique pronta até o final de 2022, quando ficará orbitando a Terra a uma altitude de 340 quilômetros a 450 quilômetros.

[Space]

Sair da versão mobile