Duas empresas chinesas estão planejando a construção de uma usina solar em um dos lugares mais assustadores do mundo – a área de exclusão em torno do reator nuclear de Chernobyl.

• Chernobyl pode virar usina solar 30 anos após acidente nuclear
• O escudo gigante para conter a radiação em Chernobyl está prestes a ser instalado

Segundo a Reuters, com a ajuda de duas companhias chinesas, a Ucrânia quer ver a região produzir energia novamente, mas desta vez de uma forma mais segura.

Depois do terrível acidente nuclear, as autoridades soviéticas demarcaram uma área restrita em torno da cidade, chamada “Zona de Exclusão de Chernobyl”, ou simplesmente “A Zona”. A radiação do acidente de 1986 está espalhada irregularmente pela região, fazendo com que o governo realizasse o reassentamento da população e demarcasse regiões consideradas seguras para a agricultura.

Embora já tenha passado 30 anos desde o acidente, essa área restrita continua enorme, ocupando cerca de 2.600 quilômetros quadrados nas regiões de Kiev e Jitomir na Ucrânia.

As duas empresas, GCL System Integration Technology (GCL-SI) e a estatal China National Complete Engineering Corp (CCEC), anunciaram planos de iniciar a construção de uma usina solar capaz de gerar 1 gigawatt numa região ainda não especificada da Zona de Exclusão.

Comentários feitos por um diretor da GCL-S sugere que a usina seria construída numa região onde a radiação está sob controle. A área, inclusive, já passou por diversas inspeções dos técnicos da companhia.

“Haverá grandes benefícios sociais e econômicos enquanto tentamos renovar com energia limpa e renovável uma área danificada”, apontou Shu Hua, presidente da GCL-SI, num comunicado oficial.

Assim como outras empresas chinesas, a GCL-SI está buscando expandir sua presença internacional – mas quem pensaria em pisar num território tão fora dos limites?

A Zona de Exclusão de Chernobyl, por mais que pareça assustadora, finalmente está se abrindo. E é bem legal ver que uma região que foi marcada pela radiação nuclear está pronta para se reerguer por meio de uma fonte de energia renovável e excepcionalmente segura.

[Reuters]

Imagem: Entrada da Zona de Exclusão. Slawojar/Wikimedia.