Chris Rock se recusa a falar sobre o tapa que levou de Will Smith durante a última edição do Oscar, no dia 27 de março — a não ser que seja pago para isso. Durante o show mais recente de sua turnê de stand-up, na cidade de Indio, nos Estados Unidos, o humorista reviveu o episódio e se posicionou pela primeira vez. 

O jornal local Palm Springs Desert Sun reproduziu a fala do comediante. “Eu estou bem e tenho um show inteiro para vocês nesta noite. Eu não vou falar sobre [o tapa] até que me paguem para isso. Minha vida está boa. Eu até estou ouvindo melhor”, disse Rock. A agressão aconteceu após o humorista fazer uma piada sobre a cabeça raspada de Jada Pinkett-Smith, esposa de Will Smith, que sofre de alopecia.

Will Smith chegou a se desculpar publicamente após o ocorrido. Em apresentações anteriores da turnê, Chris Rock havia dito que “ainda estava processando” o acontecido. No entanto, o comediante impediu que integrantes de sua plateia puxassem um coro xingando Will Smith.

“Vá se ferrar Will Smith”, gritou um espectador. Em seguida, Rock interrompeu seu número e repetiu no microfone: “Não, não, não, não, não”. Relatos dão conta de que a apresentação, que aconteceu em Boston, foi interrompida mais de uma vez com xingamentos.

Na última sexta-feira (8), a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas decidiu banir Smith por dez anos dos eventos relacionados ao Oscar, incluindo a cerimônia de premiação dos melhores do ano. O texto que comunica a decisão, assinado pelo presidente da Academia, David Rubin, qualifica o comportamento de Smith no palco de “inaceitável e prejudicial”.

Em comunicado, a Academia lamentou o ocorrido e agradeceu Rock “por manter a compostura em circunstâncias extraordinárias”. Antes de anunciar a decisão, a Academia deu 15 dias para Will Smith se defender por escrito. Sabendo que poderia ser expulso ou suspenso da entidade, o ator decidiu renunciar à filiação como membro da Academia de Hollywood.