Chrome vai fechar o cerco contra extensões que usam dados desnecessariamente

Nova política do Google vai exigir que as extensões no Chrome Web Store informem como os dados dos usuários são utilizados.

Google Busca. Crédito: Nathana Rebouças (Unsplash)

Crédito: Nathana Rebouças (Unsplash)

O Google já vem prometendo mais privacidade em seu navegador há um tempo. O movimento mais recente é a introdução de uma política que vai exigir que as extensões no Chrome Web Store informem como os dados dos usuários são utilizados.

A partir de janeiro de 2021, os criadores deverão detalhar o tipo de informação que está sendo coletada. Eles também estarão proibidos de vender dados a terceiros ou utilizá-los para qualquer outro propósito não especificado.

Esses comunicados, com foco na maior transparência entre empresas e usuários, já podem ser incluídos pelos desenvolvedores de extensões. Porém, o Google diz que só passará a exibi-los na Chrome Web Store a partir de 18 de janeiro de 2021. Caso algum criador não forneça o aviso até essa data, o Google vai incluir uma advertência na listagem do desenvolvedor.

Apesar de legislações como a GDPR e a LGPD já abordarem essas questões, a medida representa uma forma adicional de pressionar as empresas a darem mais atenção à privacidade, além de estabelecer uma relação de maior confiança e transparência com os usuários.

[Engadget]

Sair da versão mobile