Lembra-se quando a CIA foi obrigada a admitir que tinha “acessado inapropriadamente” computadores do Comitê de Inteligência do Senado? Uma investigação conduzida pela própria CIA limpou a barra da agência e chamou o incidente de “erro”, e não uma prevaricação (crime cometido contra a administração pública). Que surpresa, não?

O conselho de prestação de contas da CIA eximiu a organização de qualquer transgressão relacionada ao fato de que alguns oficiais terem vasculhado arquivos e e-mails dos investigadores do Congresso sem permissão. O conselho disse que os oficiais da agência cometeram um “engano”, acrescentando que suas ações “não refletiram em prevaricação, má fé ou na intenção de ganhar acesso não autorizado a materiais deliberativos e confidenciais do SSCI.” Claro.

O conselho ainda explicou que os funcionários da agência “agiram com sensatez para investigar uma possível brecha na segurança,” apontando que não havia regras claras acerca de quais processos deveriam ser empreendidos quando a agência notou que um relatório interno tinha vazado para fora da organização e para o Senado. No fim, como você já deve ter imaginado, os cinco funcionários decidiram dar uma olhada nos computadores do comitê de inteligência.

As conclusões do conselho confrontam as do inspetor geral da CIA, David Buckley. Ano passado, ele disse que os cinco funcionários da CIA em questão tinham agido “inapropriadamente”. [CIA via National Journal via Verge]