Exatamente, e não são 27 placas de vídeo quaisquer; são 23 nVidia GTX 295 e quatro outras, sem contar com um Playstation 3. Para rodar isso em casa o dono do monstro teve que remodelar as instalações elétricas da sala.

O pai de Jason Farqué (o criador da máquina) sofre de uma desordem neurológica hereditária rara chamada Doença de Huntington, que causa degeneração da coordenação motora, movimentos corporais anormais e afeta também as habilidades cognitivas. Como filho, Jason tinha 50% de probabilidades de também ser portador do gene defeituoso. Ele teve sorte, e com a sorte veio alívio, e com o alívio veio a culpa de se sentir aliviado, e com a culpa veio a vontade de fazer alguma coisa útil. Foi então que surgiu a ideia de criar a melhor máquina que estivesse ao seu alcance para colaborar com o projeto Folding@Home, que busca uma melhor compreensão sobre o enovelamento das proteínas produzidas no corpo humano e pode trazer novos tratamentos e até mesmo a cura de doenças como a do pai de Jason, além de Alzheimer, Parkinson, câncer e outras tantas.

Qualquer internauta morador do planeta Terra pode participar. Para isso, basta instalar um programinha simples na sua máquina, que vai utilizar o poder de processamento ocioso para simular o enovelamento das proteínas. O Brasil tem boa participação no projeto, com destaque para a equipe do Fórum PCs, que está entre as 60 melhores no ranking, como você viu ontem aqui no Gizmodo.

Ok, mas vamos ao assunto de hoje. O monstro em questão tem nome: Atlas Folder. Vejamos suas especificações:

Placas-mãe:
4 MSI K9A2 Platinum com 2GB de RAM cada;
1 Foxconn Destroyer com 2 GB de RAM; e
1 EVGA 790i Ultra com 4GB de RAM.

Processadores:
5 AMD Phenom X4 9950 a 2,8 Ghz e
1 Intel Core 2 Extreme QX9770 a 4.2 Ghz (resfriado a água).

Placas de vídeo (todas da nVidia):
23 GTX 295 (46 GPUs, já que há duas por placa);
1 GTX 260;
1 9800 GT; e
2 8800 GTX.

Fez os cálculos aí? São 50 GPUs e 6 processadores quad-core! Nenhum brinquedinho de criança. Tudo isso está montado em racks, claro, e rodando Windows XP x64. Mas não nos esqueçamos do PS3 que figura solitário no topo do rack. O poder de processamento do Atlas Folder, calculado por Jason, chega a assustadores 41,424 TeraFLOPS em precisão simples, isso contando apenas as 23 GTX 295 e os 6 processadores Quad-Core. Com pouco mais de 2 meses de funcionamento (começando com apenas 4 placas), o monstro já ocupa a 83ª posição no ranking geral do Folding@Home (entre 1.228.400 concorrentes) e é o responsável direto pelo 154º lugar ocupado por sua equipe, a Hunt-Dis (Huntington’s Disease).

Veja abaixo o primeiro vídeo da máquina (e preste atenção no barulho das ventoínhas).


 

No canal do monstro no Youtube você tem acesso a mais 6 vídeos em alta definição, contando com um tutorial de como montar o seu monstro doméstico e ainda uma demonstração de como controlá-lo via iPhone!

Se quiser saber mais sobre o Atlas Folder, pode acompanhar sua história e desenvolvimento no blog oficial, ou ver as estatísticas direto no site do Folding@Home.

Se você se pergunta se vale a pena tanto trabalho para dobrar proteínas, saiba que isso pode a qualquer momento possibilitar a cura de uma das doenças mencionadas neste post. E se você se pergunta se o Atlas Folder vai dobrar o atlas em vez de proteínas (sim, porque, mais do que dobrar proteínas, ele deve estar bem mais que dobrando o consumo de energia em casa), well, talvez se contente em saber que ele é 47% mais verde no que diz respeito à tarefa de dobrar proteínas. Agora, se o consumo energético excessivo vai trazer a cura de doenças antes ou depois do apocalipse, isso eu já não sei dizer. =S

Anyway, se quiser se juntar ao projeto (não precisa construir um monstro doméstico para isso), leia nossa nota de ontem para saber como. =) [Atlas Folding e Folding@Home, via Fórum PCs]