Um plano para restringir carros do centro da Cidade do México não foi o suficiente para reduzir a poluição do ar. Então, a cidade agora quer tirar o dobro de carros das ruas.

>>> Fotos impressionantes mostram a poluição tóxica de Natal na China
>>> México lança teleférico horizontal como alternativa de transporte

Por ser extensa e ficar em uma altitude elevada, a Cidade do México é propensa a ter uma fumaça intensa, pois está rodeada de montanhas, o que aprisiona partículas em suspensão, causando inversão térmica. Porém, a situação ficou pior nas últimas semanas, com níveis de ozônio 1,5 vezes maior do que é considerado aceitável, forçando a cidade a criar novas restrições que começaram a ter efeito na última segunda-feira (4).

A ideia inicial consistia em evitar que carros trafegassem pelo centro da cidade por um dia durante a semana e por um sábado do mês — as regras se aplicavam conforme a placa do carro, como ocorre em algumas cidades brasileiras. No entanto, após dois dias, as taxas de poluição não reduziram o suficiente, então a cidade decidiu dobrar a restrição na área, banindo cerca de 2 milhões de carro a partir de quarta-feira. Em contrapartida, a cidade está oferecendo ônibus gratuitos e descontos em táxis, segundo a agência de notícias AP.

Apesar das reclamações convencionais sobre esse tipo de política — as pessoas sempre acham formas de burlar, inclusive comprando um segundo carro —, moradores da Cidade do México estão nervosos sobre a nova restrição, ainda que seus carros atendam aos requisitos de eficiência energética e emissão de carbono (embora carros elétricos e híbridos sejam exceção).

Por anos, a Cidade do México sempre teve uma regra simples: se seu carro passou pelo teste de emissão, você pode dirigir livremente por aí, sem a necessidade de entrar no esquema de rodízio. No entanto, isso tem sido um grande desafio para cidade, pois dar acesso a carros mais novos e caros é visto como um problema de desigualdade. Uma decisão da Suprema Corte do país declarou que banir donos de carros velhos é inconstitucional. De fato, a proibição poderia ter sido mais efetiva se visasse caminhões, ônibus e outros veículos de frota, que são bem mais poluentes que carros antigos.

Previsivelmente, o sistema de transporte público da cidade estava cheio em função da proibição, o que escancarou problemas infraestruturais também enfrentados por cidades como Nova Déli, na Índia, que baniu carros em determinadas áreas. No entanto, a cidade informou que estava fazendo mudanças grandes e de longo prazo na área de transporte e na construção (controle de emissões em fábricas também podem funcionar). O banimento vai provavelmente durar até junho, quando o clima ficará mais úmido e o céu, com menos fumaça.

[WSJ]

Imagem do topo: Nuvens de fumaça na Cidade do México. Crédito: AP Photo/Rebecca Blackwelll