Manter um tomate saboroso e firme por alguns dias não é uma tarefa fácil, como qualquer pessoa que já deixou algum por muito tempo dentro da geladeira pode atestar. Agora, uma nova pesquisa nos dá a esperança de aumentar o tempo útil de duração dele.

Estudante brasileira desenvolveu um método para reduzir o consumo de água na agricultura
Maior fazenda vertical do mundo usará 95% menos água com método mais produtivo

A curta vida útil de um tomate ocorre em função mais da textura que do gosto em si. Coma um tomate pouco maduro e ele não terá gosto e será duro. Espere um pouco mais de tempo e o tomate vira uma papa de tão mole. Um novo estudo publicado na Nature Biotechnology e feito por pesquisadores da Universidade de Nottingham, no Reino Unido, finalmente conseguiu achar a enzima responsável por fazer o tomate amolecer tão rápido.

A enzima em questão é a pectate lyase. O melhor da descoberta é que os pesquisadores disseram que silenciar o gene para esta enzima não parece ter um impacto em outros sinais de maturação do tomate, como cor ou sabor.

“O potencial para o tomate durar mais é aparente”, disse Graham Seymour, um dos autores do estudo da Universidade de Nottingham, ao Gizmodo. “Os dados que nós temos indicam que mudar o processo de amolecimento não tem efeito no gosto de metabólitos, incluindo açúcares, ácidos ou voláteis.” Logo, existe a possibilidade de criar tomates que fiquem firmes por mais tempo e que não terão seu sabor alterado.

Mas antes de a gente saber o quanto um tomate vai durar, — e como será seu gosto do início até o fim de sua vida útil — nós precisaremos esperar os pesquisadores criar sabores estendidos e maior vida útil. Por enquanto, o melhor plano é comer o tomate o quanto antes, enquanto ele não amadurece ou apodrece.