Graças em grande parte ao telescópio espacial da sonda Kepler, da NASA, astrônomos já encontraram milhares de exoplanetas se espreitando do lado de fora de nosso Sistema Solar. Descobrir o que fica em torno desses planetas, no entanto, se provou um grande desafio. Embora cientistas tenham chegado perto de achar exoluas ao longo dos anos, nenhuma descoberta foi legítima. Mas um grupo de astrônomos da Universidade Columbia agora acredita ter encontrado uma exolua de verdade, a cerca de 4.000 anos-luz de distância.

• Metade da nossa galáxia pode ter vindo de outras galáxias
• As melhores fotos de astronomia do ano vão te transportar para outro mundo



Após remoer dados antigos da Kepler, pesquisadores acreditam ter encontrado evidência do telescópio observando um planeta do tamanho de Júpiter e uma lua do tamanho de Netuno passando em frente a uma estrela, chamada de Kepler-1625. Quando um planeta e/ou uma lua passa em frente a um planeta, ou transita, causa uma diminuição de luz, e é por isso que a equipe acha que estão no rastro certo de alguma coisa aqui. Eles planejam confirmar sua descoberta usando o muito mais poderoso Telescópio Espacial Hubble.

“Depois de nossa maior pesquisa até agora, recentemente detectamos um forte sinal de candidato à lua na curva de luz da Kepler-1625b”, escreveu a equipe, em um pedido para tempo de observação no Hubble, em 29 de outubro. “O planeta exibe três trânsitos nos dados de Kepler (P~287 dias), em que detectamos diminuições de fluxo de luz consistentes com a presença de uma grande lua”.

Mas se os fracassos do passado provam alguma coisa é que encontrar exoluas é mais complicado do que parece.

yd9zrj8uwbio1e4kyect

Imagem: NASA

“Exoluas são difíceis de detectar porque as luas são tipicamente muito menores do que seus planetas anfitriões e, portanto, tipicamente, não afetam as mudanças de luz do eclipse de trânsito, exceto se a Lua for tão grande como no caso desse sistema”, disse ao Gizmodo Edward Guinan, professor de astronomia e astrofísica na Universidade Villanova. De fato, uma lua do tamanho de Netuno desafiaria a compreensão centrada no Sistema Solar que temos do que é “lua”.

Mas vale a pena caçar exoluas por alguma razão em particular, além do fato de que seria legal encontrá-las?

“Pelas luas serem numerosas em nosso Sistema Solar, elas são provavelmente muito comuns em outros sistemas planetários. Uma observação adicional proposta com o Hubble pode conseguir confirmar essa exolua”, disse Guinan. “A descoberta de exoluas é muito importante, já que algumas dessas luas poderiam fornecer habitais (nichos) adicionais para a vida.” Em nosso próprio Sistema Solar, duas luas, Encélado e Europa, já provaram ser merecedoras perspectivas para abrigar oceanos de água no estado líquido e até mesmo vida.

Esperamos que desta vez tenhamos encontrado exoluas. Quem é que não quer descobrir uma lua alienígena? Se a gente errar de novo, telescópios importantes como o Telescópio Espacial James Webb, um dia conseguirão o feito — estamos cruzando os dedos.

[Arxiv/New Scientist]

Imagem do topo: NASA/JPL-Caltech