Como se não tivéssemos o suficiente para nos estressarmos em 2020, pesquisadores do Cyber ​​Security Labs da Ben Gurion University e do Weizmann Institute of Science criaram uma maneira de ouvir o que está sendo dito em uma sala mesmo a longas distâncias, usando equipamentos que custam menos de US$ 1.000. O método recorre a aparelhos capazes de medir mudanças sutis na iluminação de um ambiente causadas pela vibração das ondas sonoras nas lâmpadas.

Já existem muitas maneiras de espionar o que está sendo dito em uma sala de longe. Bugs em eletrônicos, smartphones e computadores comprometidos com malware e até lasers apontados para janelas podem ser usados ​​para escutar secretamente uma conversa privada sem que os alvos saibam. Mas, na maioria das vezes, essas abordagens requerem acesso às salas ou equipamentos, física ou eletronicamente, e podem ser detectadas, o que limita sua eficácia e praticidade.

Essa nova abordagem, que os pesquisadores denominaram Lamphone, é eficaz a grandes distâncias e realmente requer apenas visibilidade da sala através de uma janela. Ah, e que alguém tenha deixado as luzes acesas. O equipamento do Lamphone inclui um laptop para processamento de sinal, um telescópio para fornecer uma visão ampliada e aproximada da sala a distâncias de dezenas de metros e um sensor eletro-óptico que simplesmente converte luz em um sinal elétrico.

O sistema capta mudanças na luz bastante sutis, praticamente imperceptíveis ao olho humano. Quando as ondas sonoras criadas em uma sala atingem uma luminária suspensa, elas também podem fazê-la se mover, mas distâncias infinitesimalmente pequenas. Os humanos podem não perceber, mas um detector sensível pode.

Em um experimento usando três telescópios com diâmetros de lente diferentes a uma distância de 25 metros, os pesquisadores conseguiram capturar o som sendo tocado em uma sala remota, incluindo “Let It Be”, dos Beatles (que era distinguível o suficiente para o Shazam reconhecê-la), e um discurso do presidente Trump (que a API de reconhecimento de fala do Google conseguiu transcrever com sucesso). Com telescópios mais poderosos e um conversor analógico-digital mais sensível, os pesquisadores acreditam que as distâncias de interceptação poderiam ser ainda maiores.

Embora o tipo de lâmpada usada em uma sala não importe, o que não está claro é a eficácia dessa técnica com a iluminação fixada no teto, como os tubos fluorescentes que tornam a vida do escritório tão sombria ou as lâmpadas de luminárias em uma mesa. Seja como for, se você tem alguma coisa a esconder ou se é só paranoico mesmo, é melhor desligar as lâmpadas e usar lanternas ou o brilho das telas para iluminar sua casa.