Adeus, Philae. Você foi um módulo de pouso valente, mas é hora de nos despedirmos. A equipe do controle de solo trabalhando com a nave anunciou que abandonou as esperanças de ouvir algo de novo vindo do cometa 67P.

>>> Primeiro módulo a pousar em um cometa desperta após sete meses

No mês passado, a Agência Aeroespacial Alemã (DLR, na sigla em inglês), relatou que as chances de voltarmos a falar com o módulo eram mínimas – e diminuíam a cada dia. Agora, eles anunciaram que perderam as esperanças. Em um comunicado, Stephan Ulamec, gerente do projeto do Philae na DLR, explicou:

As chances de Philae contactar nossa equipe no nosso centro de controle do módulo estão infelizmente se aproximando de zero. Não enviaremos mais novos comandos.

O pouso do módulo Philae no cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko foi um baita de um feito histórico. Mas infelizmente as coisas não saíram como o planejado: quando o módulo tocou o solo em novembro de 2014, ele deu duas quicadas e parou em uma sombra de um penhasco. Sem luz solar para recarregar através de seus painéis solares, o Philae rapidamente ficou sem energia. Depois de 57 horas, ele estava silencioso.

O Philae acordou brevemente quando viu um pouco de luz solar, mas logo ficou silencioso novamente. O módulo permanece assim desde 9 de julho de 2015, e as tentativas de comunicação recentes não foram bem-sucedidas.

A DLR acredita que o módulo agora está coberto em poeira e frio demais para funcionar direito. Infelizmente, o cometa agora está em direção a uma área incrivelmente fria da sua órbita, onde temperaturas caem a números abaixo de -180º Celsius – muito abaixo das temperaturas consideradas em seu design. “Seria surpreendente receber um novo sinal,” concluiu Ulamec.

[ESA]

Imagem: Conceito artístico de Philae no cometa, via ESA