Esta semana chegam os novos iPods, e você deve estar querendo saber se é hora de um upgrade (ou de finalmente entrar na onda). Confira o que os reviews andam dizendo.

iPod Touch

CNET:
"As duas câmeras também tiram fotos, mas a qualidade não se compara com à da câmera de 5 megapixel com flash LED presente no iPhone 4. Essencialmente, estas fotos são apenas frames de vídeo isolados, o que significa uma resolução de 960×720 na câmera traseira e 640×480 usando a frontal. Você também tem o recurso de toque-para-focar do iPhone 4, mas as fotos não farão inveja à sua câmera digital.

De modo geral, o iPod Touch funciona bem como uma camcorder de bolso, apesar de ainda darmos preferência para uma Flip UltraHD no que diz respeito à qualidade de vídeo, de áudio e flexibilidade plug-and-play. Mas lembre-se que não dá para navegar na web, baixar apps ou mandar emails para os amigos usando uma Flip, então as comparações entre produtos nem sempre são perfeitas."

Engadget:
"Assim como o novo Nano, o Touch pareceu gerar um som um pouco melhor que os das suas versões anteriores, mas não é uma diferença assustadora, que justificasse jogar no lixo o seu modelo atual. A reprodução de áudio, no geral, pareceu decente para nós – não ficamos desejando mais qualidade. Mas se você está planejando usar o speaker externo para ouvir música nele, você provavelmente deve reconsiderar. Não lembramos quando foi a última vez que ouvimos algo tão pífio. O que não é surpreendente, considerando o tamanho do corpo. Apesar de estar localizado mais ou menos no mesmo ponto em que o speaker do iPhone 4, o volume e a qualidade de som nem se comparam. Mas até aí, quem usa o speaker, certo?"

USA Today:
"Além disso, há a ótima tela Retina de alta resolução e 3.5 polegadas que quase se equipara à do iPhone 4. O Touch não tem um ângulo de visão tão bom quanto o que o iPhone 4 consegue graças a uma tecnologia chamada ‘in-plane switching’ (IPS). Lado a lado, o Touch parece sensivelmente menos brilhante que o iPhone 4.

Ainda assim, mesmo um texto minúsculo aparece supernítido e legível no Touch. Ele também o mesmo processador A4 usado no iPhone 4. O chip lida melhor com a energia e ajuda a alongar a vida da bateria para até 40 horas, segundo a Apple."

PC Mag:
"Já que o iPod Touch não é um telefone, ele não reconhece números de telefone para chamadas de vídeo com o FaceTime, então é necessário usar endereços de email. O iOS 4.1, que habilita o uso de endereços de email com o FaceTime, não estava disponível publicamente antes de publicarmos este review, então só pude testar com representantes da Apple. Dito isso, eu estava usando a minha rede Wi-Fi doméstica em Nova York para conversar por vídeo com eles nos seus escritórios em Cupertino,a na Califórnia, e fiquei impressionado com os resultados. As imagens apareceram nítidas e claras, e eu pude entender tudo que o meu parceiro de papo estava dizendo, sem nunca uma ligação cair."

SlashGear:
"A Apple diz que a bateria dura 40 horas de áudio ou 7 horas de vídeo, mas com a inerente flexibilidade do aparelho – não esqueça que há um navegador, email, Google Maps e FaceTime, isso antes de você se aventurar pela App Store – é improvável que você vá fazer uma coisa apenas rotireinamente. Mesmo assim, descobrimos que dá para tirar confortavelmente uns dois dias de uso pesado, com uma mistura de reprodução de áudio e vídeo, navegação e algumas chamadas de FaceTime e aplicativos de terceiros. Considerando a espessura de 7,2mm, isso é algo impressionante."

iPod Nano

The Telegraph:
"Para alguns, a ênfase do Nano em simplesmente reproduzir música, em detrimento de frescuras como gravar ou assistir vídeos, será um grande ponto positivo. Além disso, a excelente autonomia da bateria e o tamanho compacto fazem dele um companheiro indispensável para exercícios, particularmente com o Nike+ e um pedômetro inclusos no aparelho.

Mas o problema fundamental, ao menos para mim, é que ele não parece um iPod. Falta o charme barato e brincalhão do Shuffle ou a sofisticação cromada do Touch. Parece que você está pagando um extra só para ter o privilégio de tocar em uma tela em vez de apertar um botão.

Em resumo, parece o tipo de aparelho que as outras empresas lançam apressadamente para tentar emular o toque de Midas da Apple."

Laptop Mag:
"Há uma diferença potencialmente chata entre o Nano e o Shuffle. O fio do fone de ouvido do Nano é quase 30cm mais longo. Isso não vai fazer diferença para quem usa caminhando, mas os frequentadores de academia podem se incomodar com o fio ficando no caminho durante os seus exercícios. Os botões maiores do Shuffle também são mais fáceis de pressionar do que os do Nano. Com o Nano preso com o clip às minhas calças, eu tive que torcer o pulso em um ângulo esquisito para apertar os pequenos botões de volume, ou então usar a outra mão para ajeitar o iPod antes de usá-lo."

All Things D:
"Quando uma música toca, a capa do álbum cobre toda a tela do Nano e parece um colorido selo preso a você.

Eu gostei especialmente de passar por fotos no Nano usando os dedos, dando dois toques para dar zoom e movimentando a imagem ampliada com o dedo. O iPod Nani vem em sete cores e a sua bateria dura 24 horas de reprodução de áudio."

TechCrunch:
"A qualidade sonora do aparelho é sólida – assim como nas gerações anteriores do Nano. E as 24 horas de bateria que a Apple anunciou parecem ser isso mesmo. Eu não consegui esgotar a bateria até o final usando durante vários dias.

Um infeliz efeito colateral desta diminuição de tamanho é que a Apple teve que retirar o suporte a vídeos. Isso significa que o iPod não consegue mais reproduzir ou gravar vídeos (não existe mais uma câmera). Eu acredito que algumas pessoas ficarão decepcionadas com isso até ver o tamanho do aparelho. Você consegue se imaginar assistindo a um vídeo nesta telinha? Eu com certeza não."

Boing Boing:
"O sintonizador de rádio do nano funciona muito bem: a recepção foi como a que eu esperaria de, digamos, um rádio de carro, e a interface imita um dial convencional. Fotos, música, rádio, podcasts, pedômetro e sensor de corridas/caminhadas: tudo isso em um aparelho pequeno e leve o suficiente para ser usado no pulso, pendurado no pescoço ou preso na camiseta."

iPod Shuffle

BusinessWeek:
"Depois da eliminação dos botões de controle inteiramente em favor de controles no fio do fone de ouvido, a nova versão do Shuffle retorna com a roda de botões encontrada na segunda geração. O VoiceOver, recurso de voz digital que anuncia nomes de músicas, artistas e playlists substituindo uma tela, continua aqui, e funciona tão bem como sempre. O Shuffle carrega 2GB de música em sua única configuração, e é do tamanho de uma bala."

Macworld:
"Uma decepção que eu tive enquanto usava o Shuffle novo: enquanto ouvia música com o iPod preso à barra da minha camisa, eu batia em coisas e acabava mudando de música ou alterando o volume. Sim, eu também batia em coisas quando usava o Shuffle antigo (de segunda geração), mas ele tinha um truque: se você pressionasse o botão central por alguns momentos no iPod antigo, ele travava todos os controles até que você fizesse a mesma coisa de novo. Eu usava esse recurso o tempo todo para evitar comandos acidentais; e não consegui encontrar nenhuma combinação de botões para travar os botões do Shuffle novo."

T3:
"A bateria oferece quase 14 horas de reprodução contínua antes de precisar recarregar, e os fones de ouvido da Apple inclusos têm a qualidade de sempre: ou seja, não muita. No caso do Shuffle, usar fones melhores não vai aumentar muito a qualidade do som, mas seria legal ter fones que pelo menos não caíssem das orelhas durante uma sessão de esteira ou incomodassem as pessoas próximas com vazamento de som."

The Loop:
"No entanto, colocar botões no iPod Shuffle torna o aparelho ainda mais útil. Eu percebi na última semana de uso que tenho usado bem menos os botões de controle remoto do fone de ouvido, e mais os do próprio iPod. Pode quebrar este hábito tão rapidamente me convenceu que a mudança de design foi boa."

CNET:
"Se nós temos apenas uma reclamação sobre o design do iPod Shuffle de quarta geração, seria a dificuldade em usar a presilha sem acidentalmente apertar a parte esquerda da roda de botões. A segunda geração do Shuffle evitou este problema ao posicionar a roda um pouco para o lado, deixando uma sobra onde se podia ‘beliscar’ com segurança na hora de abrir ou fechar a presilha. Com o novo design, você precisa apoiar o dedo cuidadosamente em um dos cantos do iPod, ou esquecer o cuidado e apertar o botão sempre que quiser prender ou soltar o aparelho."

Créditos de imagem: SlashGear (foto inicial), Engadget (Touch), TechCrunch (Nano), BoingBoing (Shuffle).