No último sábado (3), um atentado a tiros no Walmart de El Paso, no Texas, resultou na morte de 20 pessoas. O suspeito responsável pelo tiroteio teria publicado uma mensagem no fórum online 8chan 20 minutos antes de entrar em ação. Segundo ele, suas ações foram inspiradas em discussões do fórum que promoviam discurso de ódio e glorificavam ações como o atentado a mesquitas na Nova Zelândia.

Diante desse último incidente, o Cloudflare anunciou que não vai mais oferecer serviços de segurança para o 8chan. A empresa fornece suporte de infraestrutura, como serviços de entrega de conteúdo e proteção DDoS, para 19 milhões de propriedades online. Ao perder esse suporte, o 8chan estará aberto a ataques DDoS que podem permanentemente extinguir o site a menos que ele possa encontrar outro provedor.

Conforme apontado pelo CEO do Cloudflare, Matthew Prince, em um blog post sobre o fim do suporte ao 8chan, “infelizmente, esse não é um caso isolado”. Ele lembra que o atentado de Christchurch, Nova Zelândia, aconteceu de forma similar.

O atirador de El Paso referiu-se especificamente ao incidente de Christchurch e parece ter sido inspirado pelas discussões não moderadas do 8chan que glorificaram o massacre anterior. Em uma tragédia separada, o suspeito de ser responsável pelo tiroteio na sinagoga de Poway, Califórnia, também postou uma “carta aberta” cheia de ódio no 8chan. O 8chan repetidamente provou ser uma fossa de ódio.

Por ser um provedor de rede, o Cloudflare não é responsável por moderar o conteúdo dos sites que utilizam seus serviços. No entanto, Prince afirma que o 8chan “passou dos limites”. Essa é a segunda vez que a empresa toma tal decisão. A primeira aconteceu há cerca de dois anos, quando o site Daily Stormer foi suspenso devido às mensagens neo-nazistas que promoviam uma supremacia branca. “Continuamos a nos sentir extremamente desconfortáveis ​​em assumir o papel de árbitro de conteúdo e não planejamos exercê-lo com frequência”, escreveu Prince.

O CEO do Cloudflare ainda acrescentou que retirar o suporte ao 8chan não resolve o problema. Exemplo disso é o próprio Daily Stormer, que retornou dentro de apenas alguns dias em outro provedor e afirma que atualmente tem uma audiência ainda maior. Prince lamenta que o mesmo deve ocorrer com o 8chan.

Embora a remoção do 8chan da nossa rede elimine o nosso problema, ele não resolve os motivos pelos quais sites que promovem discurso de ódio se disseminam no ambiente online. Não contribui em nada para explicar por que os tiroteios em massa ocorrem. Não contribui em nada para explicar por que partes da população se sentem tão desencantadas que se voltam para o ódio. Ao tomar essa ação, resolvemos nosso próprio problema, mas não resolvemos o da internet.

Apesar de estar consciente de que a medida não vai impedir o 8chan de continuar promovendo mensagens de ódio, Prince afirma que interromper o suporte do Cloudflare é “a coisa certa a se fazer”. Segundo ele, sua empresa vai continuar a trabalhar com outras organizações para tentar encontrar soluções, além de monitorar potenciais sites com discurso de ódio em sua rede e alertar as autoridades sobre qualquer conteúdo que possa indicar ações violentas.

[Wired, Engadget]