No mundo da energia, tecnologias de captura de carbono são vistas como o Santo Graal: imagine se a gente pudesse sugar o CO2 que causa a mudança climática da nossa atmosfera? Cientistas do Departamento de Energia (DOE) do governo dos EUA estão estudando isso. E eles encontraram recentemente um material que não apenas captura o CO2, como também ajuda a converter o gás do efeito estufa em combustível.

Ele se chama tetrâmero de cobre, e consiste em pequenos grupos com quatro átomos de cobre, todos apoiados em uma película fina de óxido de alumínio. Eles se ligam fortemente ao CO2 e ajudam a catalisar a conversão para metanol, o qual pode ser armazenado ou queimado como combustível.

Atualmente, para transformar CO2 em metanol, cientistas usam um catalisador e aplicam gás hidrogênio sob alta pressão – o que gasta bastante energia. O catalisador mais comum (que usa cobre, óxido de zinco e óxido de alumínio) não é muito eficiente, capturando poucos átomos de carbono.

Com este novo método, a eficiência aumenta consideravelmente: o tetrâmero de cobre consegue catalisar a reação sob pressão bem menor (quase atmosférica), consumindo menos energia para produzir a mesma quantidade de metanol. O estudo foi publicado no Journal of the American Chemical Society.

No entanto, os cientistas admitem que ainda há muito o que evoluir até que seja algo possível de ser usado em larga escala. Seria necessário obter toneladas do material – em vez dos nanogramas usados em laboratório – e é possível que os tetrâmeros de cobre se decomponham em um ambiente industrial.

Mesmo assim, esse é mais um ótimo exemplo de como novos materiais podem nos ajudar a reduzir o gás carbônico na atmosfera. [Argonne National Laboratory News]

Imagem de topo via Larry Curtiss, Laboratório Nacional Argonne