A gente já tinha se perguntado o que valia mais: comprar produtos da Apple ou investir em ações da Apple? Agora você, que mora no Brasil, vai poder ver na prática. A BMF Bovespa autorizou recentemente a negociação de ações americanas na bolsa de valores brasileira. Ou seja: as ações da AAPL e do GOOG estão chegando.

O Deutsche Bank será o primeiro a trazer títulos americanos para a Bovespa, na forma de BDRs. Inicialmente, serão dez empresas – dentre elas Walmart, McDonald’s, Google e Apple – mas o número deve aumentar, à medida que os bancos vão recebendo autorização para negociar as BDRs.

É bom ver que não só nós, geeks, nos interessamos por empresas de tecnologia: grandes bancos querem investir nessas empresas porque aqui no Brasil há poucas opções com liquidez nessa área – Positivo Informática, IdeiasNet e poucas outras.

Já é possível comprar ações direto no exterior, mas para isso você precisa abrir uma conta no exterior, e precisa de advogados e contadores que tornam inviáveis o custo de comprar poucas ações. Agora, com as BDRs, o professor de finanças Mauro Calil sugere que, com R$3.000, já dá pra investir em empresas estrangeiras.

Quanto à performance passada, a Apple deu um banho no Ibovespa, índice de rentabilidade das ações na bolsa de valores brasileira. Nos últimos 12 meses, enquanto o Ibovespa subiu 25,5%, a Apple subiu 63% (em reais); o Google caiu 2% (também em reais). Se considerarmos apenas este ano (gráfico acima), a situação é a mesma: a Apple subiu 19%, enquanto o Ibovespa e o Google ficaram no negativo.

Mas o que importa são as perspectivas futuras: a plataforma iAd da Apple vai impactar a receita do Google, que vem principalmente de propaganda? Como estará o mercado de propaganda online nos próximos meses? E a demanda por smartphones, notebooks e MP3 players, principal fonte de receita da Apple? Estas são perguntas que você deve se fazer antes de sair investindo.

Os papéis da Apple e do Google estarão disponíveis este mês; fale com sua corretora para saber como adquiri-los. [Computerworld; informações financeiras via Yahoo Finance]

Foto por CUNY Graduate School of Journalism

Gráfico e tabela com dados disponíveis aqui