A Positivo apresentou ontem, em evento em São Paulo, a sua mais nova unidade de negócios. A marca Quantum tem estratégia inspirada em empresas chinesas como a Xiaomi e a OnePlus, com preços agressivos e venda direta para o consumidor. O Quantum GO, primeiro smartphone da marca, já está disponível com preços que começam em R$699.

IMG_20150902_214022310



A Quantum foi idealizada por três ex-funcionários da Positivo. Marcelo Reis, Thiago Miashiro e Vinicius Grein contam que levaram a ideia ao presidente da empresa, Hélio Bruck Rotenberg, que decidiu apostar na novidade e transformá-la numa unidade de negócios da Positivo.

A ideia da Quantum é repetir no Brasil o que empresas como Xiaomi, Meizu e OnePlus fazem na China: produtos com preços agressivos conseguidos pela eliminação de intermediários. Portanto, o Quantum GO, primeiro smartphone da marca, será vendido inicialmente apenas pela loja online própria – algo que a Xiaomi já faz também no Brasil com seu Redmi 2. Além disso, haverá também 20 quiosques de degustação (sempre estranho falar em “degustação” de celulares) em shoppings das principais cidades brasileiras.

IMG_20150902_214041068

Quantum GO

O Quantum GO é o primeiro smartphone da marca. Ele é um aparelho de especificações intermediárias:

  • tela AMOLED de 5 polegadas e resolução HD (1280×720 pixels),
  • processador MediaTek MT6753 com oito núcleos de 64 bits rodando a 1,3 GHz (no modelo 4G; o modelo 3G tem uma versão de 32 bits),
  • 2GB de RAM,
  • câmeras de 13 e 5 megapixels,
  • bateria de 2.300 mAh suporte a dois chips,
  • versões com 3G e 4G (já compatível com as faixas de 2600 GHz, 1800 GHz e 700 GHz)
  • versões com armazenamento interno de 16GB e 32GB (ambas com suporte a cartão microSD de até 32 GB).

No design, chamam a atenção a espessura e o peso: são apenas 6,5 mm de espessura –como foi destacado na apresentação, é menos que um iPhone 6– e 115 g de peso. O aparelho tem formas quadradas, com uma traseira plana revestida com Gorilla Glass. Lembra bastante os smartphones da linha Xperia, da Sony.

O GO roda Android 5.1 Lollipop com poucas alterações: os ícones foram alterados e lembram os da Asus; a tela de configurações rápidas ganhou novos atalhos; há configurações adicionais de economia de bateria, incluindo um modo monocromático; poucos apps adicionais vêm instalados, como o aplicativo de TV digital e o DashCam, que transforma o smartphone numa câmera de painel de carro. Na mão, o Quantum GO é realmente leve e fácil de segurar. O desempenho parece ser bom e bastante ágil.

O Quantum GO já está à venda na loja online própria da marca. São três versões disponíveis: 3G com 16GB de armazenamento interno (R$699), 3G com 32GB (R$799) e 4G com 32GB (R$899) – valores à vista para pagamento no boleto bancário; há um acréscimo de 8% no pagamento parcelado no cartão de crédito. Sem dúvidas, é um preço agressivo: a versão 4G é mais barata que a versão com 2GB de RAM do Moto G de terceira geração, por exemplo. Além do smartphone, a loja também vende acessórios, como suporte para colocar o aparelho no painel do carro, películas protetoras e cases como o Duo Case, composto por duas partes independentes que podem ser combinadas.