O fotógrafo Mike Hankey tirou esta foto extraordinária do ISON, que pode ser o cometa do século – mais brilhante que Hale-Bopp (1997) e Halley (1986) – caso sobreviva ao se aproximar do Sol. A imagem é tão perfeita que parece irreal.

O cometa ISON foi descoberto há apenas um ano, e agora pode ser observado no céu noturno. No Brasil, a melhor época para vê-lo será nestas duas últimas semanas de novembro, de madrugada. No entanto, sua observação será melhor no hemisfério norte.

ison (2)

Hankey tirou esta foto com 60 segundos de exposição

O ISON se tornou muito mais brilhante do que antes. De acordo com Pablo Santos Sanz, do Instituto de Astrofísica de Andaluzia (Espanha), ele passou por um impressionante aumento de quinze vezes na sublimação de ácido cianídrico e água nas últimas 48 horas.

Os cientistas não sabem exatamente por que essa reação explosiva ocorreu. Uma das teorias, de acordo com Santos Sanz, é que o eixo de rotação do cometa é mais ou menos alinhado com sua direção rumo ao Sol; por isso, ele recebe uma grande quantidade de radiação solar, causando a reação.

Aqui está o antes e depois da explosão, por Juano González Díaz:

ison (1)

À medida que o ISON se aproxima do Sol, não será fácil para ele sobreviver. Como explica a NASA:

Uma ejeção gigante de material solar poderia arrancar a cauda do cometa. Antes de atingir Marte… a radiação do sol começa a ferver a água do cometa, primeiro passo para quebrá-lo. Se ele sobreviver a tudo isso, a radiação e pressão intensas – à medida que ele voa perto da superfície do Sol – podem destruí-lo completamente.

Por isso, se o ISON sobreviver, ele pode ser o cometa do século. Ele chegará mais próximo ao Sol (estará no periélio) em 28 de novembro, quando chegar a apenas 1,2 milhão de km da superfície de nossa estrela.

O ISON fará sua aproximação máxima da Terra em 26 de dezembro, logo após o Natal, chegando a 64 milhões de km de distância – o que não oferece risco para nós.

ison (3)

O cometa ISON, visto pelo Observatório de Sierra Nevada, Espanha