Controlar o termostato de uma casa com o celular pode parecer moderno e futurista, mas nos anos 1980, era possível programar um Commodore Amiga para fazer exatamente a mesma coisa. E 30 anos depois, pelo menos um destes sistemas arcaicos ainda está trabalhando a todo vapor.

Em 1985, o distrito escolar público de Grand Rapids, em Michigan, EUA, adquiriu um Commodore Amiga para controlar o aquecedor e o ar condicionado de 19 escolas públicas.

Programada por um estudante do ensino médio da escola, a máquina foi programada para usar um modem de 1200 bits e um sinal de rádio sem fio para ligar aquecedores, ventiladores, bombas e tudo mais dentro do distrito escolar de Michigan. E a máquina vem exercendo este trabalho dia e noite há mais de um quarto de século.

De acordo com notícias do WoodTV, o telejornal local:

O Commodore Amiga era novo para as GRPS [escolas públicas de Grand Rapids] no início dos anos 1980 e trabalha sem descanso desde então. Tim Hopkins, supervisor de manutenção das GRPS, diz que o computador foi comprado com dinheiro daquela época. A máquina substituiu um computador do tamanho de uma geladeira.

Claro, alguns imprevistos surgiram no caminho. Em determinado momento, o monitor, mouse e teclado tiveram que ser substituídos. Alguns glitches no software ocasionalmente surgem também, e o rapaz que programou a máquina é o único que sabe arrumá-la. (Por sorte, ele mora na área do distrito).

Mais preocupante é o fato de que a arcaica rede de comunicação sem fio causa certas interferências nos walkie-talkies dos funcionários. Quando isso ocorre, Hopkin diz, “é preciso interromper os rádios por pelo menos 15 minutos”.

Devido ao problema com os rádios, e porque (sejamos francos) o Amiga pode literalmente morrer a qualquer momento, o distrito escolar pede US$ 2 milhões para substituir o sistema por algo muito mais moderno. Essa atualização já deveria ter vindo, mas parte de mim quer saber por quanto tempo o sistema atual aguentaria. [WoodTV via Popular Mechanics via Geek.com]


Foto de capa: Wikimedia