Quando a Amazon começou a vender o novo álbum da Lady Gaga por um dólar – pois é, um álbum novo quase de graça – não havia dúvida de que eles perderiam milhões. O total, como estima a Billboard, é de aproximadamente US$3,2 milhões. E ainda assim, isto pode ser ótimo para a Amazon!

Por quê? Bem, a Amazon lançou há pouco tempo o serviço Cloud Player: se você compra músicas pela Amazon, elas ficam guardadas na nuvem e você pode ouvi-las em qualquer computador, ou no seu smartphone com Android (ou iOS, mas aí não funciona muito bem). O serviço ainda está começando, mas o Google já lançou o Google Music – seu serviço de música na nuvem – e rumores dizem que a Apple está quase pronta para apresentar um serviço do iTunes na nuvem na WWDC, em junho.

A concorrência é pesada. Então que jeito melhor de fazer o público descobrir o Cloud Player do que vender um álbum que obviamente faria sucesso através da sua loja de MP3? Comprando o álbum, as músicas dele ficam guardadas na nuvem, e você passa de 5GB para 20GB gratuitos no Cloud Drive – que armazena seus arquivos (músicas e outros) na nuvem.

Além de tudo isto, a promoção aumentou a percepção dos consumidores em relação à Amazon. Ou seja, muita gente descobriu o que é essa tal de Amazon, e quem já conhecia prestou mais atenção na marca – e na loja. Gastar US$3,2 milhões para conseguir tudo isso deve ser música para os ouvidos da Amazon.

Vale lembrar que, segundo a Billboard, a Amazon vai pagar pelo valor cheio de cada álbum vendido na loja. Ou seja, nesta promoção a gravadora não perde dinheiro, nem a Lady Gaga. (Quem sabe no futuro, vai que alguém se acostumou a álbuns baratos, mas não agora.) Os cálculos estão na Billboard, mas basicamente a Amazon perde US$7,40 por cada álbum vendido. [Billboard]