Os militares dos Estados Unidos estão desenvolvendo um novo sistema de defesa aérea que permite explodir mísseis hipersônicos no ar. Batizado de “Glide Breaker”, o programa visa neutralizar armas manobráveis que viajam a pelo menos cinco vezes a velocidade do som –já usadas, por exemplo, na Guerra da Ucrânia.

Durante a primeira fase de testes, dois protótipos de interceptadores hipersônicos foram desenvolvidos pela Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa dos EUA (DARPA, na sigla em inglês). Nesta fase, foram realizados testes nos componentes e demonstrações estáticas dos sistemas.

Agora, o programa está entrando em sua segunda fase, quando a DARPA pretende analisar os efeitos do fluxo do ar hipersônico sobre os protótipos, assim como os sistemas de controle. Para isso serão feitos experimentos em túneis de vento, bem como testes de voo.

A DARPA afirma que conseguiu desenvolver uma tecnologia de propulsão necessária para atingir ameaças hipersônicas altamente manobráveis. “As fases 1 e 2 juntas preenchem as lacunas tecnológicas necessárias para que os EUA desenvolvam uma defesa robusta contra ameaças hipersônicas”, disse o major Nathan Greiner, gerente de programa no Escritório de Tecnologia Tática da DARPA.

Resposta americana aos mísseis hipersônicos

De acordo com um documento da DARPA, o míssil interceptador é formado por vários estágios, da mesma forma que os foguetes espaciais. Esses estágios serão impulsionados pelo motor DACS, um sistema de propulsão que pode ser utilizado não apenas em armas militares, mas também em satélites e espaçonaves.

Assim como os mísseis hipersônicos, o Glide Breaker também viajará em altíssima velocidade, contando com um sistema de rastreamento de mísseis e jatos para realizar manobras em voo na atmosfera superior.

Pelo menos na primeira fase, o projeto teve a participação das empresas Aerojet Rocketdyne e Northrop Grumman, após fecharem contratos com a DARPA de US$ 12 milhões e US$ 13 milhões, respectivamente. Inclusive, a própria Northrop Grumman vem desenvolvendo armas e aviões hipersônicos.

Conforme apontou o site Space, o programa do Glide Breaker foi anunciado inicialmente em 2018. Segundo a DARPA, os testes de voo do sistema devem ser concluídos em até quatro anos.