O supercomputador Watson, da IBM, já mostrou que é mais esperto que humanos jogando Jeopardy! – um jogo exibido na TV, de perguntas e respostas, no qual o computador humilhou os dois melhores concorrentes da história do programa. E agora, o que o futuro do Watson reserva para ele?

Você disse “assistente de pesquisa em uma equipe de diagnóstico médico”? Resposta correta! Pelo menos, esta é uma das muitas tarefas que o Watson poderia realizar, diz Stephen Baker, blogueiro e escritor que fala sobre o Watson, em um artigo para o Boston Globe:

Um paciente chega com um conjunto enigmático de sintomas. O Watson faz uma busca por centenas de milhares de artigos em periódicos e estudos de caso. Ele retorna seis diagnósticos possíveis e seu nível de confiança em cada um deles – além dos links para a documentação que ele estudou. Digamos que dois dos diagnósticos não se apliquem… [o]s médicos sabem o bastante para eliminar alguns outros. Mesmo assim, se pelo menos uma dessas seis possibilidades levar a equipe a respostas plausíveis que eles não haviam considerado, a máquina terá feito seu trabalho.

Uma ideia excelente, com certeza, mas o que aquela bela princesa disse naquele filme bobo e desnecessário sobre um império galáctico? Alguma coisa sobre a liberdade morrer não nos tiros das armas de fogo, mas no aplauso ensurdecedor?

É, nem sei porque eu pensei nessa ameaça fantasma enquanto escrevo um post que celebra a vitória de um supercomputador sobre dois humanos, depois de derrotá-los em um jogo de trívia de três dias na televisão. Nem sei por quê. [The Boston Globe via Boing Boing]