Sim, você mesmo, safadão. Os seus gadgets estão nojentos. E limpá-los com a manga engordurada da sua camiseta não deixa as coisas muito melhores. Eis como limpar os seus gadgets da maneira correta.

HDTVs e monitores



Esta é a principal indagação que recebo de amigos e família sobre limpeza, e é uma das mais fáceis de responder. HDTVs e monitores são os piores tipos de ímãs de sujeira, implorando para serem tocados — pelo seu chefe que quer mostrar algo na tela do seu computador, pelo seu priminho balofinho que está meio irriquieto durante sua enésima sessão de Procurando Nemo, pelo seu antigo colega da faculdade que está bêbado e por algum motivo bizarro ainda acha engraçado apalpar atrizes na tela da TV a caminho do banheiro — e ficando lá, parados, na mais completa vulnerabilidade: seja o seu monitor LCD, que fica à distância de um espirro; seja a sua TV de tela plana, que fica na sua sala empoeirada.

A resposta tentadora e quase instintiva a um painel de vidro ou material mais ou menos vítreo que esteja oleoso, empoeirado ou mucoso é abrir o armário debaixo da pia, pegar um limpa-vidro e o rolo de papel-toalha e borrifar o troço. Não. Faça. Isso. Em algumas TVs e monitores, o limpa-vidro funcionará — televisores CRT, por exemplo, e algumas telas com painel de vidro — e, se você tem usado o limpa-vidro no passado sem nenhum incidente, não se preocupe muito. Mas pare.

Borrifar qualquer espécie de limpador numa tela não é das melhores ideias. Estes painéis não têm proteção contra intempéries climáticas, então se o seu solvente borrifado escorrer por uma minúscula rachadura entre a superfície do painel e o chanfro da tela, vai rolar uma tragédia. Além disso, o limpa-vidro é um limpa-vidro: muitas das camadas externas de telas não são feitas de vidro, ou podem ter alguma espécie de cobertura delicada. Limpadores com amônia, por exemplo, são microscopicamente abrasivos contra algumas superfícies plásticas, fazendo com que a sua tela fique ligeiramente enevoado com o tempo. E, quanto à sua ferramenta de limpeza, papel-toalha não é nenhuma desgraça, mas também é ligeiramente arriscado — o revestimento da tela pode vir a ser extremamente delicado e papel-toalha nem sempre é macio e fofinho. Além disso, ele pode deixar riscos, independente do líquido que você esteja usando.

Ou seja, qual é o truque? Água. Água e um pano macio e sem fiapos (de preferência de microfibra (flanela), que é melhor para remover sujeiras engorduradas). Para limpar o seu painel, umedeça o seu pano e torça o máximo que você puder — não podem ficar gotas gordas no seu painel — depois passe o pano, dobrado, gentilmente sobre a superfície de um lado para o outro, repetindo até a tela ter sido amplamente coberta e qualquer resíduo grudento ter sido removido (para telas maiores, faça a limpeza em seções, assim você não deixa a água secar no final, nem acumular e escorrer no início). Agora faça o mesmo com um pano úmido, aplicando uma pressão ligeiramente maior, removendo definitivamente toda sujeira e umidade. Repita o processo se ainda houver depósitos de gordura. E pronto! Uns trocados por uns bons panos macios, um pouquinho de água e a sua tela estará novinha em folha.

E aqueles produtos especializados de limpeza? Eles até funcionam, mas na maior parte dos casos não são necessários.

Controles de TV e de videogame

Quando a sua TV mostrar sinais de que está precisando de uma limpeza, o seu controle remoto — ou controle de videogame — provavelmente estará em um estado ainda pior. O tipo de sujeira que acumula no controle remoto é pelo menos uma ordem de magnitude mais asquerosa (e mais humana) que o seu painel, então você não estará apenas limpando, mas sim desinfectando. O mais interessante disso é que o método não é muito diferente do descrito acima: um pano umedecido com água. No entanto, desta vez você deve usar um pouco de álcool isopropílico na mistura — 40% de goró e 60% de água funciona — para ajudar a desinfetar os botões e remover aqueles acúmulos adiposos marrons que ficam entre os botões. Novamente, pano macio é melhor que papel-toalha, ainda mais agora por ser um pouco melhor do que um papel fino e duro na hora de alcançar os pontos entre os botões. Use palitos de dente para alcançar as fendas, mas nada mais rígido que isso.

Estes gadgets são únicos por serem compartilhados. E gadgets compartilhados são, quase sem exceção, fantásticos vetores para germes. Ou seja, pra resumir o que estou dizendo: limpe-os ou morra.

Câmeras

Corpo: limpar o corpo da sua câmera é como limpar praticamente qualquer outro gadget — um pano bem ligeiramente umedecido serve (mas seja ainda mais gentil ao redor das aberturas, já que as entranhas de câmeras point-and-shoot ficam terrivelmente próximas da superfície e qualquer gotícula intrusa pode tocar um tremendo caos lá dentro).

Lentes: lentes são ímãs de sujeira, e se estão sujas, você simplesmente não tira fotos legais. Elas também são delicadas e caras, então você não pode simplesmente chegar lá com um papel-toalha e limpar de uma vez. Existem kits de limpeza de lentes em tudo quanto é loja de câmera e incluem uma solução limpadora suave e um pano de microfibra. Estes kits são o melhor que você pode usar, mas nada de sair gastando fortunas neles. Canetas de limpeza de lentes também funcionam, mas são uma proposta mais arriscada — a superfície de limpeza destas coisinhas é limitada e eu sempre tenho a impressão de que, após alguns usos, o elemento limpador já está meio enodoado.

No entanto, mais uma vez a aposta segura é a de sempre: compre um pano de microfibra e simplesmente esfregue as lentes em movimentos circulares até todas as sujeiras visíveis saírem. Nunca pressione muito a lente — qualquer sujeira ou poeirinha nela pode se agarrar ao seu pano e arranhar a sua lente — e dobre diversas vezes o seu pano para garantir que você está usando uma superfície nova a cada nova limpeza.

Só dois adendos sobre as lentes: não se esqueça de limpar o vidro traseiro de qualquer lente DSLR. Tem muito menos superfície lá e, como ele passa a maior parte do tempo dentro da câmera ou de uma capa de lente, ele provavelmente não estará tão sujo, então não custa nada. E, se você puder, trate cada uma das suas lentes com um filtro UV. Apesar disto ser chamado de filtro, ele só bloqueia luz que os humanos não conseguem enxergar naturalmente, o que significa que na maioria das fotos o efeito não será notado facilmente (mais sobre isso aqui). No entanto, você não tem nada a perder comprando um destes filtros estupidamente baratos e ele proporcionará uma camada de proteção transparente contra sujeiras e arranhões nas suas lentes a todo instante. E como são planos e finos, são mais fáceis de limpar do que as lentes convexas.

ATUALIZAÇÃO: recebi uns dois e-mails de profissionais em fotografia sobre isso e acho que são dignos de menção: antes de esfregar as suas lentes, uma boa prática é dar uma rajada de ar nelas. Bombas de ar (como a mencionada na próxima subseção) e ar comprimido servem, mas os seus pulmões também. O raciocínio por trás disto é que você deve remover quaisquer partículas abrasivas das lentes antes de esfregá-las, assim você não as arrastará pra lá e pra cá, causando danos permanentes. — Valeu, Jody e Ned!

Sensores: usuários de câmeras point-and-shoot e de transição não precisam se preocupar com isso, mas os usuários de DSLRs, que abrem a porta pra entrada de sujeira dentro do corpo da câmera toda vez que trocam de lente, talvez precisem limpar o sensor algum dia. Não é tão assustador quanto aparenta!

Primeiramente, você nunca precisará de fato limpar um sensor, já que todos os sensores DSLR têm alguma espécie de filtro embutido, seja IV ou UV. Mas ainda assim, a superfície é delicada, então é bom tomar cuidado. A maior parte das câmeras inclui alguma espécie de função limpadora de sensor no próprio software; como a única sujeira de sensor é composta de um ou outro grão de poeira, uma rápida sacudida forte geralmente já basta.

Se isto não funcionar e as suas fotos exibirem manchas desbotadas e persistentes, está na hora da Fase 2: ar. Para tanto, eu cito Ken Rockwell:

Após 17 mil fotos, finalmente um grão de poeira entrou na minha D70. Lembre-se que eu troco de lente o tempo todo. O aspirador industrial não foi suficiente. Desta vez eu usei um aspirador nasal que arranjei na farmácia e que você pode arranjar aqui. Eu coloquei a minha D70 sobre o aspirador e bati nele com meu punho para gerar uma lufada forte de ar. Isso funcionou.

Rockwell aconselha usar uma seringa para lavagem de ouvido; eu diria para usar um soprador específico de lente, já que eles custam bem menos e você obterá resultados melhores sem correr o risco de pulverizar as entranhas da sua DSLR enquanto tenta forçar a entrada de fluxo de ar suficiente por meio de um removedor de cera de ouvido feito de borracha dura.

Além da limpeza do sensor interno e algumas lufadas de ar, existem muitos outros métodos para se limpar um sensor, mas eles são todos arriscados nos mais variados graus. A menos que você seja extremamente confiante (e cauteloso), talvez seja melhor deixar estas opções para os caras da sua loja local de câmeras, assumindo que você ainda tenha uma. Um sensor estragado, na maioria dos casos, é uma câmera estragada, então tome cuidado.

Laptops

A sujeira da tela é o problema de limpeza mais comum com os laptops. Com a seção sobre limpeza de telas, já cobrimos isso. No entanto, os laptops agregam sujeira de inúmeras outras maneiras e eles podem se tornar verdadeiros poços microbianos rapidinho.

Para limpar um teclado comum — ou seja, um design não-chiclete — você tem três passos a tentar. O primeiro é usar um pano umedecido com a mistura já mencionada de 40% álcool/60% água, com o laptop desligado, e passá-lo sobre as teclas. Dobre o pano algumas vezes e use uma quina para alcançar entre as teclas. Você pode usar este mesmo pano para limpar o resto do seu laptop também, exceto a tela, mas inclusive o seu touchpad. Se isto não bastar e você detectar poeira e cabelo entre as teclas, está na hora de ar comprimido. Isto você encontra na maioria das grandes lojas de eletrônicos ou online por 10 dólares ou menos. O seu uso é simples: basta inclinar o seu laptop de lado e soprar ar nas fendas.

Se isto não funcionar, está na hora de começar a remover as teclas. Como você está desmontando um teclado que não é exatamente feito para ser desmontado, existe um enorme risco inerente em se fazer isso, mas os bons resultados são praticamente garantidos. Eis um guia extremamente completo, caso você esteja apto a isso. Para você ter uma ideia do que isto envolve, existe um ponto no tutorial no qual todas as teclas do seu teclado estão nadando em uma tigela de sucrilhos cheia de água e sabão. É nojento.

Outra área problemática para os laptops são os coolers, entradas de ar e dissipadores de calor. Tudo isso fica no caminho entre o ar externo e o seu processador, que precisa deste ar para manter-se refrigerado. Qualquer bloqueio pode fazer com que seu laptop aqueça, seus coolers rodem mais rapidamente e sua bateria se desgaste mais rapidamente. As instruções de desmontagem variam de um laptop pro outro e geralmente envolvem remover todo o seu teclado. No entanto, quando você tiver feito isso, remover a poeira será uma questão de soprar ar, esfregar uma escova de dente limpa sobre as partes ou simplesmente passar o dedo pra limpar. Não é preciso ficar impecavelmente limpo, apenas liberar a passagem de ar do seu computador.

Outro truque bastante útil: aqueles MacBooks brancos de última geração têm uma asquerosa tendência a acumular um resíduo bege (depois marrom, depois preto) onde a palma do usuário descansa sobre o laptop. Esta descoloração é mais uma mancha do que um acúmulo, então você não consegue consertar com água nem álcool. A solução? Acetona. É sério, a melhor maneira de limpar aquela caca é com removedor de esmalte de unha.

Desktops

Nós já falamos sobre como limpar as partes externas de um laptop: qualquer superfície plástica deve ser limpa com um pano úmido; teclados recebem ar comprimido. E pronto! O seu desktop fica tinindo! Ah, como é boa esta sensação! Agora basta você deslizar o painel lateral do seu gabinete pra você chorar. Se você já tem seu desktop por alguns meses, e particularmente se ele fica em um quarto com carpete, é praticamente certeza de que lá dentro estará um show de horrores.

A primeira coisa a fazer é….isso mesmo: sacar o seu pano de microfibra. Limpe todas as superfícies acabadas, ou seja, recobertas por borracha (fios), pintadas (o interior do gabinete e a superfície plástica dos drives internos de leitura óptica, ou a parte externa decorada de uma placa de vídeo) ou inertes (as pás de um cooler ou a parte externa do seu dissipador de calor). Você pode umedecer ligeiramente o pano para ajudar a coletar a poeira dos cantos do gabinete, mas provavelmente você não precisa fazer isso e é melhor mesmo manter esta operação a mais seca possível, do início ao fim. A seguir, saque o seu ar comprimido e abuse dele. Preste bastante atenção às áreas de acúmulo de poeira, como os dissipadores de calor do seu processador e a placa de vídeo, além do cooler dentro da sua fonte. Isto provavelmente fará com que parte da poeira se assente novamente em alguma outra parte, então talvez você precise repetir o seu processo de passar pano e soprar ar. Novamente — limpar o interior da sua torre não é para deixar uma aparência impecável, mas sim certificar-se de que acúmulos de sujeira, poeira e cabelo não afetem negativamente o desempenho do seu computador. Ou seja, não fique histérico com isso, cosmeticamente falando.

[Imagem via]

Celulares e media players

Celulares, iPods e outros media players são feitos para se enfiar no bolso, então você até pode ser um pouco mais bruto na hora de limpá-los. Um pano ou papel-toalha bem ligeiramente úmido removerá qualquer impressão digital ou resíduo que a sua camiseta ou calça jeans não tire.

Por mais que estes gadgets sejam feitos para viverem nos bolsos, eles têm uma quantidade irritantemente alta de cantinhos nos quais a poeira possa se esconder. Celulares possuem teclados ou, cada vez mais frequentemente, posicionam seus botões à base de uma touchscreen ou na lateral do aparelho, sempre criando mais locais para se acumular sujeira. A grade dos microfones e alto-falantes dos celulares é outro refúgio para imundície e é totalmente imune a simples passadas de pano. Para isto, você precisa ir um passo além. Por sorte, você provavelmente já tem todos os instrumentos necessários na sua própria casa.

Palitos de dente e escovas de dente velhas ajudam a alcançar os pequenos orifícios e as frestas, como aquelas em torno dos botões ou que correm ao longo do perímetro de alguns painéis (a Samsung e a HTC são particularmente culpadas por deixarem espaços em lugares assim).

Às vezes, como no caso das minúsculas grades de microfones/alto-falantes de alguns telefones, a sujeira não deve entrar, mas sim sair. Para estas situações, cole uma faixa de fita durex sobre a área em questão, passe o seu dedo por cima algumas vezes e puxe pra fora. Se isto não funcionar, passe pra fita adesiva (tipo silver tape) – mas é melhor você ser um pouco gentil com esta daí, já que aplicar muita pressão pode deixar resíduo adesivo no seu aparelho, que é um saco de limpar.

Suas dicas e truques
Se você tiver mais dicas e ferramentas de limpeza para compartilhar, favor deixar alguns links aí embaixo nos comentários. O seu feedback é bastante importante para os nossos guias.