Ontem o FBI derrubou o Silk Road, um dos maiores sites anônimos de venda de drogas pela internet. Mas esse caso é bem mais estranho do que parece.

Segundo o FBI, o chefão do Silk Road era Ross William Ulbricht, também conhecido como “Dread Pirate Roberts” ou apenas “DPR”. As denúncias contra DPR incluem tráfico de drogas, invasão de computadores, lavagem de dinheiro e também encomenda de assassinato. Sim, é isso mesmo. DPR, pediu para pessoas serem eliminadas por entrarem no seu caminho – a polícia tem informações de dois desses casos.

Algumas histórias reais superam as bizarrices do mundo da ficção, e um dos casos do assassino de aluguel encomendado por DPR é um exemplo. Segue a tradução da descrição, tirado da acusação feita contra DPR (entre as páginas 21 e 24):

As comunicações privadas de DPR recuperadas do Silk Road Web server revelam que DPR agiu de acordo com a própria lei ao decidir como lidar com problemas afetando Silk Road, e que ele procurou meios violentos quando considerou que o problema exigia isso.

Por exemplo, as comunicações privadas de DPR entre março e abril de 2013 revelam ao menos uma ocasião em que DPR solicitou um assassino de aluguel para um certo usuário do Silk Road, que tentava extorquir dinheiro de DPR na época, com base em uma ameaça de liberar a identidade de milhares de usuários do Silk Road. Especificamente, a mensagem revela o seguinte:

Em 13 de março de 2013, um vendedor do Silk Road conhecido como “FriendlyChemist” começou a enviar ameaças a DPR através do sistema de mensagens privadas do Silk Road. Nessas mensagens, FriendlyChemist dizia ter uma lista de nomes reais e endereços de vendedores e clientes do Silk Road, que ele conseguiu ao hackear o computador de outro vendedor do SilkRoad. FriendlyChemist ameaçou publicar a informação na internet a não ser que DPR enviasse US$ 500.000 a ele, o que FriendlyChemist indicou que precisava para pagar seus fornecedores de narcóticos.

Em uma mensagem, com data de 14 de março de 2013, FriendlyChemist elaborou as consequências para o Silk Road caso ele continuasse com a ameaça: “o que você … acha que vai acontecer se milhares de nomes de usuários, quantidades de pedidos, endereços vazaram? todas essas pessoas vão deixar o sr [Silk Road] e ficarão com medo de usá-lo novamente. esses vendedores vão ser presos e todos os consumidores serão expostos também e nunca voltarão ao sr.”

Em 15 de março de 2013, FriendlyChemist mostrou a DPR uma amostra dos nomes de usuários, endereços e informações de pedidos que ele pretendia vazar. Além disso, como prova de que ele conseguiu os dados de um vendedor que ele alegou ter hackeado, FriendlyChemist forneceu o nome de usuário e senha do Silk Road para DPR verificar os dados.

Em 20 de março de 2013, um usuário com nome “redandwhite” entrou em contato com DPR e disse o seguinte: “Me pediram para falar com você… nós somos as pessoas para quem friendlychemist deve dinheiro também…. O que você quer falar com a gente?”

Em 26 de março de 2013, DPR escreveu para redandwhite, dizendo “apenas para ser claro, eu não devo dinheiro nenhum a ele… não tenho certeza absoluta de qual é a melhor ação a tomar, mas quero estar em comunicação para você para ver se podemos chegar a uma conclusão que funcione para todo mundo. FriendlyChemist de lado, nos podemos conversar sobre como vamos fazer negócios. Obviamente você tem acesso a substâncias ilícitas em grande quantidade, e estamos com problemas com distribuidores ruins. Se você ainda não vende aqui no Silk Road, gostaria que você considerasse a possibilidade de se tornar um vendedor.”

Ainda em 26 de março de 2013, redandwhite respondeu: “Se você conseguirg azer FriendlyChemist nos encontrar conosco, ou pagar seu débito, tenho certeza que seremos capazes de fazer pessoas do nosso grupo entrarem nesse lado online do negócio.”

Em 27 de março de 2013, DPR escreveu de volta: “Ao meu ver FriendlyChemist é uma ameaça e eu não me importaria se ele fosse executado… não tenho certeza de quantos já sabem sobre o cara, mas eu tenho a seguinte informação e estou atrás do endereço dele.” DPR ofereceu um nome para FriendlyChemist e disse que ele vivia em White Rock, em British Columbia, no Canadá, com “mulher + 3 filhos+. DPR continuou: “Me avise de qualquer coisa que possa ser útil para conseguir seu endereço completo.”

Enquanto isso, após não conseguir resposta de DPR desde 20 de março de 2013, FriendlyChemist enviou uma mensagem a DPR no dia 29 de março, dizendo: “você não me dá escolha eu quero US$ 500.000 em 72 horas ou eu vou postar todas as informações que tenho… eu odeio fazer isso mas preciso do dinheiro ou vou liberar tudo isso. detalhes de identidades de mais de 5.000 usuários e cerca de 2 dúzias de vendedores. como vai ser?”

Algumas horas depois, no dia 29 de março de 2013, DPR enviou uma mensagem a “redandwhite” dizendo que “FriendlyChemist” estava “causando problemas”, e também que “gostaria de colocar um prêmio por sua cabeça se não for muito trabalho para você. Qual seria a quantidade adequada para motivá-lo a ir atrás dele? Necessidades como essa acontecem de tempos em tempos com uma pessoa na minha posição.”

Após redandwhite perguntar quais problemas FriendlyChemist estava causando, DPR respondeu, em mensagem do dia 30 de março de 2013: “ele está ameaçando expor a identidade de milhares dos meus clientes que ele conseguiu adquirir… esse tipo de comportamento é imperdoável para mim. Especialmente aqui no Silk Road, o anonimato é sacrossanto.” Sobre o assassinato de aluguel que ele solicitava, DPR comentou que “não precisava ser limpo.”

No mesmo dia, redandwhite enviou uma mensagem a DPR com preços de US$ 150.000 a US$ 300.000 “dependendo de como você quer que seja feito” – “limpo ou não”.

No dia 31 de março de 2013, DR respondeu: “Não quero ser chato aqui, mas o preço está meio alto. Não faz muito tempo que encomendei um trabalho desses por US$ 80.000. Os preços citados são os melhores que você consegue? Gostaria de resolver isso o mais rápido possível, ele diz que vai liberar as informações na segunda-feira.”

Depois de mais algumas mensagens trocadas no dia 31 de março de 2013, DPR e redandwhite chegaram a um acordo em relação ao preço de 1.670 Bitcoints – aproximadamente US$ 150.000 – pelo trabalho. Na mensagem de DPR confirmando o acordo, DPR incluiu um comprovante de transação refletindo a transferência de 1.670 Bitcoins para um certo endereço Bitcoin.

Algumas horas depois, no dia 31 de março de 2013, redandwhite respondeu: “Recebi o pagamento… Nós sabemos onde ele está. Ele vai ser pego nesta noite. Atualizo você sobre o caso.”

Aproximadamente 24 horas depois, redandwhite voltou a falar com DPR: “Seu problema foi solucionado… Ele não vai chantagear mais ninguém. Nunca mais.”

Mensagens seguintes mostram que, a pedido de DPR, redandwhite enviou a DPR uma imagem da vítima após o trabalho ser feito, com números aleatórios escritos em um papel próximo à vítima. No dia 5 de abril de 2013, DPR escreveu a redandwhite: “recebi a imagem e apaguei. Obrigado novamente por a sua ação rápida.”

Apesar de acreditar que o acima mencionado demonstra a intenção de DPR de solicitar um assassino de aluguel, falei com autoridades de lei canadenses, que não têm nenhum registro de nenhum morador do Canadá com o nome passado por DPR a redandwhite como o alvo do assassinato encomendado. Eles também não têm nenhum registro de homicídio em White Rock, British Columbia, próximo a 31 de março de 2013.

Então vamos lá: temos um caso de chantagem feita por FriendlyChemist contra DPR, um chefão de um site de venda de drogas (que certamente era um homem bem poderoso. O chantagista dizia dever dinheiro a seus fornecedores de drogas ilícitas, e por isso foi atrás de DPR para arrancar o dinheiro dele. DPR entrou então em contato com as pessoas para quem FriendlyChemist devia dinheiro, e pediu a elas que se livrassem do sujeito. Ele ainda tentou negociar o preço pela cabeça do rapaz – disse já ter encomendado um crime igual por US$ 80.000, e o tal do redandwhite queria quase o dobro (US$ 150.000). Acabou fechando no preço inicial oferecido pelo assassino de aluguel, e, aparentemente, o trabalho foi feito – apesar de não haver nenhum registro de homicídio na cidade onde supostamente estava a vítima no dia em que ele deve ter sido cometido. Um baita roteiro de filme, mas que aconteceu na vida real.

Uma cilada

Um dia após estourar o caso de DPR, novas informações sobre os crimes cometidos pelo rapaz foram divulgadas. E elas incluem aquele assassinato encomendado por US$ 80.000. O problema é que era uma cilada: o matador de aluguel era um dos policiais que investigavam o caso.

Segundo o Washington Post, o policial disfarçado entrou em contato com DPR alegando ser um vendedor de drogas insatisfeito com a baixa quantidade de entorpecentes encomendados pelos usuários do Silk Road. DPR se ofereceu a ajudar na busca por um comprador de maiores quantidades, e colocou o tira em contato com um de seus empregados. O policial então fechou um acordo de 1kg de “mistura ou substância contendo quantidade detectável de cocaína” por US$ 27.000 em Bitcoins.

Alguns dias depois, DPR voltou a falar com o policial disfarçado reclamando que seu funcionário havia sido preso e roubado fundos de outros usuários do Silk Road. Ele, então pediu para o policial (que, vale ressaltar, ele ainda não sabia que era um policial) dar um jeito de torturá-lo e forçá-lo a devolver o dinheiro roubado. Depois, ele mudou o pedido – de tortura para execução. E o acordo foi fechado. US$ 40.000 de pagamento adiantado e depois mais US$ 40.000 quando o sujeito estivesse morto.

Os policias então criaram uma cena falsa de tortura, tiraram fotografias do empregado sendo torturado e enviaram para DPR, que ficou satisfeito em saber que o rapaz estava morto. Ele então realizou a segunda parte do pagamento, e assim teve o seu caso de assassinato encomendado por US$ 80.000.

Provavelmente era esse caso que ele se referia quando tentou negociar o preço pela cabeça do outro rapaz. Só que o assassinato mais barato não aconteceu: o suposto funcionário não foi nem torturado nem morto. Aparentemente, o funcionário estava sob custódia dos policiais e aceitou colaborar nas investigações para chegar a DPR.

Agora DPR certamente passará um bom tempo preso – não são poucas as provas de todas as suas atividades ilícitas. Mas, enquanto esteve solto, ele protagonizou casos que certamente renderiam excelentes filmes. Histórias tão surreais que é até difícil acreditar que tenham acontecido de verdade.

Esses são os dois casos de encomenda de assassinato que a polícia tem informações. É possível que ele tenha pedido para que outras pessoas fossem eliminadas também – afinal, o próprio DPR reconheceu que “necessidades como essa ocorrem de tempos em tempos com pessoas na minha posição.”[The Verge, Washington Post]