O Twitter está indo além das pequenas mensagens de texto: a empresa laçou hoje um kit de desenvolvimento de software chamado Fabric e através dele que o Twitter vai tentar dominar o seu telefone.

O Fabric oferece um layout simples para que desenvolvedores possam criar seus próprios aplicativos. Isso é bom para os programadores, mas é melhor ainda para o Twitter. Seguindo os passos do Facebook, o Twitter quer se tornar uma potência dos anúncios para aplicativos de terceiros. Se os desenvolvedores usarem a nova plataforma do Twitter, a empresa poderá ganhar dinheiro com os anúncios que forem feitos dentro dela. Além disso, com a possibilidade dos desenvolvedores usarem o Twitter como ferramenta de login, a autenticação da rede social ganhará alcance, da mesma forma que aconteceu com o Facebook. Se os programadores colocarem as incorporações do Twitter em seus anúncios de publicidade, o Twitter terá um alcance muito maior do que ele poderia conseguir com um único produto. O pequeno pássaro azul quer infiltrar todo um universo de novos aplicativos de terceiros usando o Fabric.



A grande proposta do Fabric é ser extremamente simples. Ele se divide em três kits: O Twitter Kit, que integra os aplicativos com a rede social e permite que os aplicativos usem a ferramenta de logar com o Twitter; o Crashlytics, que serve para que os programadores possam detectar e acompanhar as eventuais falhas dos aplicativos; e por fim, MoPub, cujo objetivo é integrar anúncios dentro dos aplicativos para que eles gerem lucro.

Para melhorar o negócio, o Twitter desenvolveu um programa chamado Digits que irá permitir que os desenvolvedores inscrevam pessoas nos aplicativos usando seus números de telefone em vez de seus endereços de e-mail. Essa é a chave para a abertura de novos mercados, uma vez que — acredite se quiser — existem pessoas que não têm endereços de e-mail.

Este é um grande salto do Twitter. Mat Honan, da Wired, explica:

Uma fonte familiarizada coma  estratégia de negócios do Twitter compara esse movimento a quando o Google começou a se expandir através do Youtube, do Android e do Chrome. “Você poderia se perguntar o que é que o Gmail tem a ver com buscas. Como ele pode ajudar nas buscas? E a resposta é que ele não ajuda. O Gmail valoriza o Google, no entanto, porque faz com que a empresa se torne mais central e importante na vida das pessoas.”

Mas toda essa mudança não afetará o produto principal produto do Twitter, pelo menos não de maneira direta. Não haverá redesign no site ou algum novo recurso. Mas as novidades podem — e devem — encorajar os desenvolvedores a criarem aplicativos complementares para a rede social. Se você é desenvolvedor e quer saber mais sobre o Fabric, inscreva-se aqui.

E embora nada disso vá mudar a maneira como tuitamos, o Fabric pode fazer com que o Twitter se torne uma empresa totalmente diferente.

[Blog do Twitter / Wired]