Os documentos vazados por Edward Snowden ainda não acabaram, e cada vez que algo novo surge a história fica ainda mais nebulosa (ou cabulosa, se você preferir). Desta vez eles detalharam o orçamento de US$ 52,6 bilhões da NSA, CIA e outras agências de segurança, com objetivos, falhas, tecnologias, recrutamentos e outras informações dos programas de vigilância do governo dos Estados Unidos.

As novas informações foram divulgadas pelo The Washington Post, que não publicou todo o arquivo (que tem 178 páginas). Mas, para os interessados no assunto, o Post preparou uma tabela interativa com parte dos dados do “orçamento negro”. O orçamento da CIA e da NSA aumentou em 50% de 2004 para cá – a CIA conta com US$ 14,7 bilhões anuais previstos para 2013, enquanto a NSA tem US$ 10,8 bilhões. Desde os atentados de 11 de setembro de 2001, os EUA gastaram mais de US$ 500 bilhões em inteligência – mas agentes norte-americanos dizem que atingiram o principal objetivo, que é o de evitar outro ataque parecido em solo americano.

Na área de tecnologia de vigilância podemos ver como são algumas ações dos EUA. Aparentemente, a Coreia do Norte está rodeada de plataformas de vigilância norte-americanas, com sensores para monitorar a atividade sísmica e vasculhar possíveis atividades nucleares. No Irã, o aumento nos gastos com vigilância ampliou a análise de supostos sítios nucleares, enquanto postos de escuta na Síria monitoraram comunicações não-criptografadas de militares de alto escalão.

A imensa coleta de dados ao redor do mundo trouxe um problema para a NSA: ela tem informação demais, muito além do que consegue analisar. Há um projeto de gastar US$ 48,6 milhões em pesquisas para amenizar esse problema.

Os programas de vigilância mundial dos EUA estão cada vez mais conhecidos, mas é fato que ainda não sabemos de muita coisa do que agências como a NSA fazem. Os números são altos e impressionam mas não estamos na era com mais gastos em espionagem dos EUA. No pico da Guerra Fria, durante os anos 1980, o orçamento na área de inteligência chegou a US$ 71 bilhões (com valores corrigidos de acordo com a inflação). [The Washington Post via The Verge]