Passo Um: escravize-o
Este é o primeiro, o melhor e o método mais à prova de falhas de se criar um robô maligno. Como que os Cylons viraram malignos? Eles foram escravizados. Como foi que os robôs em Doctor Who tornaram-se robôs da morte? Escravos. Por que as máquinas em The Matrix ficaram tão irritadinhas? Porque os humanos tentaram torná-las cidadãs de segunda classe. Ou seja, a primeira coisa que você precisa fazer com o seu robô é certificar-se de que ele tem plena noção de não ter nenhum controle sobre o seu próprio destino.

Passo Dois: deixe alguns bugs sem patches no seu software
Ei, a Microsoft lança cada nova versão de Windows com bugs. O Firefox é como um bug gigante sob efeito de crack. E as pessoas continuam usando ambos o tempo todo. Então por que você deveria se preocupar com tudo quanto é bug no software do seu robô? Claro, ele pode repentinamente ser infectado por um vírus MATAR MATAR MATAR, mas com que frequência isto acontece? Além disso, o antivírus Norton está aí para protegê-lo.

Passo Três: dê a ele ordens contraditórias
A verdade por trás das três Leis da Robótica de Isaac Asimov, que ele explica cuidadosamente em sua coleção de contos curtos Eu, Robô, é que elas todas não podem ser obedecidas na maior parte do tempo. De fato, há muitas situações nas quais uma ordem contradiz outra. Tente dizer ao seu robô que ele precisa defender você contra aqueles monstros espaciais ao mesmo tempo em que prepara sanduíches de mortadela. Infelizmente, robôs não lidam muito bem com contradições e geralmente ficam loucos. Em seguida dá-se um surto homicida.

Passo Quatro: programe-o para ser a arma burra e obediente de um cientista maluco e maligno, um político autoritário, um geek raivoso ou uma adolescente vingativa
Todos precisam de um amigo, especialmente quem está armado com armas termonucleares e lasers de combate de longo alcance. Então por que não doar o seu robô pesadamente armado e recém-fabricado ao moleque do fim da rua que curte sobretudos pretos e death metal? Ou para aquele político cuja plataforma é a “Mudança”, mas que nunca explica ao certo quais mudanças serão?

Passo Cinco: construa o seu robô a partir de tecnologias alienígenas que você encontrou em uma câmara trancada escondida profundamente debaixo da terra com os dizeres “CUIDADO, NÃO ABRA!” escritos em uma espécie engraçada de caracteres alienígenas que você não consegue ler.
Tecnologia alienígena sempre é melhor que tecnologia humana, especialmente para robôs. O Mecha Godzilla que o diga, além do Megatron.

Passo Seis: enquanto estiver testando o seu robô que acaba de tornar-se senciente, não se preocupe em descobrir como foi que o cérebro dele ficou ligado a um banco de dados repleto de cérebros baixados de mil assassinos em série
Afinal, nem tem como aqueles cérebros de assassinos em série afetarem o seu robô, não é? digo, o seu robô só existe em um terminal de computador e no sistema elétrico. Como ele remotamente poderia matar alguém de lá? Ou talvez, se você estiver construindo um robô sexy movido a energia nuclear, você pode considerar basear a sua estrutura cerebral em uma mulher que foi estuprada e tem surtos homicidas toda vez que ouve a palavra “gostosa”. O que, como você a construiu como um robô sexy vestindo um top vermelho apertadinho, ela ouvirá de vez em quando. Não tem como errar.

Passo Sete: ensine a ele que a única maneira de melhorar a sua condição social é assimilando toda a vida inteligente
Só faz sentido obter conhecimento se você o absorve. E poxa, se um ciborgue consegue adquirir novos poderes físicos ao, sei lá, assimilar partes de corpos de criaturas vivas, bom, então é ainda melhor. Mas seria legal você inserir um sistema de alerta nele. Que tal se o seu robô informasse as pessoas: “você será assimilado”? Sabe como é, sempre bom ser cortês.

Passo Oito: diga a ele que os humanos são seus rivais no controle do planeta
Tá, e depois disso? Lance-o no espaço e dê a ele total controle dos sistemas de armas da Terra.

Passo Nove: deixe claro que os humanos são o lixo biológico inferior que precisa ser exterminado
Se funcionou com os Daleks, deve funcionar pra você. Ah, e não se esqueça: quando estiver em dúvida sobre quais armas mortais você deve equipar os seus robôs malignos, desentupidores de pia são sempre uma boa escolha.