Tradicionalmente, apenas os gigantes estúdios de Hollywood conseguem bancar o trabalho em 3D – é muito caro construir as salas de servidores que nunca param e precisam estar sempre com condicionamento de ar. Mas a empresa por trás de Despicable Me decidiu tentar algo novo e cortou o ar condicionado. 

A Illumination Entertainment decidiu que, em vez de usar salas de servidores com ar condicionado para renderizar as imagens, pediria à IBM para construir uma sala de servidores personalizada usando o sistema iDataPlex, um sistema de processamento que corta os gastos de energia em 40% em comparação com salas normais de servidores. 

O sistema iDataPlex tem duas vantagens: uma configuração flexível que dobra a quantidade de sistemas que podem rodar em um único rack da IBM e a capacidade de rodar em temperatura ambiente, dispensando os caros sistemas de ar condicionado. O sistema existe no mercado há mais de um ano, mas o Illumination foi o primeiro estúdio a usá-lo para um filme animado. 

Isso não significa que o pequeno estúdio sonhador agora é capaz de produzir animações em 3D de nível mais alto. O Illumination usou uma equipe de 330 pessoas entre artistas, produtores e suporte para produzir 142 terabytes de dados. E a sala de renderização, que processou até 500.000 frames por semana, foi construída em parceria com o Mac Guff Ligne, um estúdio francês de produção digital. 

Mas o iDataPlex dá ao Illumination uma vantagem no processo de renderização. A sala de servidores deles, por exemplo, é do tamanho de quatro vagas de estacionamento, o que equivale à metade do espaço inicialmente planejado. "Muitas vezes o que um estúdio pequeno como o Illumination realmente quer é se preocupar em criar um conteúdo coma maior qualidade possível", diz Steve Canepa, Vice Presidente de Indústria de Mídia e Entretenimento da IBM. "Ao minimizar os problemas tecnológicos associados à construção e manutenção de um ambiente de renderização, nós permitimos aos estúdios reduzir a quantidade de tempo, energia e recursos necessários para criar uma plataforma tecnológica subjacente". 

É uma ideia interessante para estúdios – até mesmo os maiores – que procuram cortar custos e parecer mais ecologicamente conscientes ao mesmo tempo. A IBM já está trabalhando com alguns outros estúdios para implementar soluções similares. Canepa admite que os estúdios poderiam construir sistemas similares comprando racks e processadores à parte, mas a configuração única de servidores do iDataPlex traz muito poder de processamento a um espaço pequeno – e isso não é fácil de replicar. Não espere ver esse tipo de estrutura em garagens suburbanas tão cedo. 

Fast Company apoia os inovadores para desafiar as convenções e criar o futuro dos negócios.