Má notícia para quem está com alguns quilos a mais: a Samoa Air se tornou a primeira companhia aérea do mundo a cobrar passageiros de acordo com seu peso. Espero que isso não abra um precedente – senão será hora da dieta.

Na nova política de preços, o passageiro faz a reserva online declarando sua massa corporal juntamente ao peso estimado de sua bagagem. O peso total, então, será usado para calcular sua tarifa de voo. Os valores serão verificados no aeroporto, onde cada cliente terá que subir em uma balança.

Os preços vão variar entre US$ 1 e US$ 4,16 por quilo dependendo da duração da viagem, mas a Samoa Air afirma que uma família de peso normal pagará menos pela tarifa.

O executivo-chefe da Samoa Air, Chris Langton, diz à ABC Radio:

“Esta é a maneira mais justa de viajar. Não há taxas extras em termos de excesso de bagagem ou algo semelhante – um quilo é um quilo.”

Há alguns fatores específicos na Samoa Air: a frota é em grande parte composta por aeronaves pequenas com 12 lugares. Ou seja, o peso dos passageiros e da bagagem é uma proporção muito maior de do que em aviões maiores.

Além disso, Samoa – um conjunto de ilhas na Oceania – tem um sério problema de obesidade: cerca de 80% da população tem IMC maior que 25. Em países do Pacífico Sul, ser gordo é tradicionalmente associado à beleza, status social e saúde.

Algumas empresas aéreas nos EUA já obrigam passageiros obesos a comprarem dois assentos caso não caibam em um só, mas esta é a primeira vez que passageiros são cobrados por quilo. Só espero que isto não seja um precedente para outras companhias aéreas fazerem o mesmo. [Sydney Morning Herald via The Verge]

Imagem por StudioSmart/Shutterstock