Lá nos EUA, duas das maiores redes de varejo lançaram um sistema de compra de objetos usados, para aqueles que querem esvaziar os armários e ganhar uma graninha. O Gizmodo americano testou os dois serviços com um punhado de gadgets e o resultado é claro: queremos algo assim no Brasil.

Os dois sistemas são semelhantes: em vez de perder seu tempo no eBay, é só listar seus gadgets, conferir se todos estão no listão de opções das duas empresas e trocar por créditos de compras (na Amazon e na Best Buy) ou por dinheiro vivo (apenas na Best Buy) — neste caso, é óbvio que o sistema de créditos rende mais dinheiro.



A comparação foi feita usando gadgets atuais, como se alguém estivesse indo viajar e precisasse de uma graninha, ou numa situação de atualização de gadgets — venda um celular ali, compre ali mesmo com desconto. No geral, as ofertas da Amazon eram mais interessantes para o usuário (o valor oferecido por um PS3 é quase o dobro da Best Buy). Mas a lista de gadgets aceitos na Best Buy é maior, deixando o valor final superior — mas há na lista aparelhos bem recentes, como o Droid X e o HP Envy, e tudo acaba dependendo da coleção do usuário.

A Best Buy também ganha pontos por oferecer a possibilidade de pagar em dinheiro vivo — e isso pode ser muito importante caso você esteja devendo grana para aquele traficante da sua cidade. Mas, no geral, os dois sistemas são muito interessantes e nos deixam com uma só sensação: que se algo próximo disso existisse no Brasil, ele faria um grande sucesso. Quem sabe com a provável chegada da Amazon no Brasil, não?