Desmonte o iPad, e você verá que suas partes internas são similares às do iPhone, mas acompanhadas por uma bateria gigante. Desmonte o novo processador A4, da Apple, e você verá que as semelhanças são mesmo bem profundas.

O iFixit, em parceria com a Chipworks, companhia de engenharia reversa de semicondutores, desmontou o semimisterioso chip do iPad (presumivelmente produto da aquisição da empresa P.A. Semi pela Apple). Eis o que eles encontraram: um processador de núcleo simples, uma GPU e 256 MB de RAM. O processador aparentemente é um ARM Cortex A8. A GPU é mais difícil de identificar, mas testes de performance indicam que pode ser uma PowerVR SGX 535.



E daí? Daí que o iPhone tem um processador ARM Cortex A8 (mas com menor velocidade de clock), uma GPU PowerVR SGX 535 (no caso do 3GS) e 256 MB de RAM. Ou seja, o iPad é mesmo um iPhone (ou um iPod Touch) maior.

Com isso, é possível dizer que o A4 foi feito com preço e consumo de energia em mente. “Não há muito de revolucionário aqui”, diz o iFixit. Claro, isso não muda as percepções de ninguém sobre o desempenho do iPad (rápido e com boa capacidade gráfica) – e nem deveria. Mais importante do que especificações do hardware é a experiência do usuário com o produto. Esse parece ser o recado da Apple.

[iFixit e Chipworks]