Um engenheiro de software e locador com alto nível de acesso de segurança foi acusado de roubar a identidade de David Welch, um antigo inquilino seu, usando um computador da NASA do Centro Espacial Kennedy.

Aparentemente, Kevin Landivar, de 33 anos de idade, tinha uma disputa com Welch de 200 dólares por aluguel atrasado e decidiu “atormentá-lo” ao usar suas informações pessoais para fazer a solicitação de mais de 150 empréstimos. Com cada verificação de histórico, seu crédito caía. Sendo proprietário de um firma de consultoria jurídica, a deterioração do seu crédito impossibilitou o pagamento das suas dívidas.

Com a ajuda do seu próprio perito em tecnologia, Welch conseguiu rastrear a atividade feita por um computador da NASA no Centro Espacial Kennedy. A polícia e investigadores conseguiram então estreitar a busca até um computador no cubículo 2140S no segundo andar do Prédio de Operações Conjuntas de Base e, com o tempo, acabaram chegando ao próprio Landivar. Ele agora terá cinco anos de prisão e multa de 5 mil dólares. Naturalmente, este incidente levanta algumas questões. Landivar enviou um monte de informações pessoais de Welch para o seu próprio computador de casa – como foi que a NASA não pegou isso? Se Landivar estava enviando dados para sua própria casa (incriminando-se), por que usar um computador da NASA pra fazer isso? E seria este um caso de crime de alçada federal? [TC Palm via Fark; imagem via Custom Delivery Services]