Nós já tínhamos colocado nossas mãos em um Samsung Serie 9 no Chile, mas agora ele chega de forma oficial às lojas brasileiras e com a confirmação de preço — se a expectativa era algo “em torno dos R$5.000”, digamos que os R$4.999 divulgados estão na faixa prevista. Agora, tudo indica que o MacBook Air tem um belo concorrente.

A Samsung deixou bem claro porque quer entrar no mundo dos “notebooks premium”: a empresa ainda é a quarta colocada no segmento no Brasil e, como os coreanos querem transformar o Brasil no terceiro maior mercado da fabricante ainda em 2011, nada mais natural do que lançar uma máquina dessas no país. Apesar de o primeiro lote ser importado para “atender a demanda”, a promessa é de que ele será fabricado no Brasil, mais especificamente em Manaus.

O Serie 9 (codinome 9000X3A-A01) continua sendo a mesma máquina que encontramos no Chile: belo design, extremamente leve (1,31 quilo), acabamento bacana e construção em duralumínio (que, segundo a Samsung, é duas vezes mais resistente do que o alumínio comum e tem o mesmo peso). Há conexões HDMI e USB 3.0, além de um drive óptico para ler DVDs entregue separadamente. A tela, de 13,3 polegadas, é de LCD e tem 400 nits e promete bons resultados mesmo em locais com alta exposição de luz.

Por dentro, o Serie 9 tem uma configuração que deixa claro como o segmento de notebooks extremamente móveis está evoluindo: há um processador Core i5 2537M, Sandy Bridge, com 2,3GHz, um pente de memória de 4GB no padrão DDR3 e um SSD de 128GB, que faz o boot da máquina em 15 segundos e o reboot em 3 segundos.

Segundo Fernando Martins, presidente da Intel no país, as baterias de ion-lítio já chegaram ao limite da tecnologia e, enquanto não caminhamos para o próximo estágio, a solução são os processadores de baixa voltagem (ULV). Assim, a promessa da Samsung é uma bateria de seis células com duração de até 8,1 horas longe da tomada.

Curiosamente, o anúncio de hoje é muito similar à proposta apresentada pela Intel hoje, na Computex. Lá, a empresa exibiu o que batizou de “ultrabooks”, máquinas extremamente portáteis, leves, com configuração próxima ao Serie 9, mas com algumas diferenças cruciais: os ultrabooks terão porta Thunderbolt, processadores ULV diferentes e uma estimativa de preço consideravelmente menor do que o Serie 9 (lá fora, ele custa US$1.700; a proposta da Intel é de máquinas de US$1.000).

Apesar do possível conflito de propostas, a Samsung e a Intel afirmam que os coreanos estão sendo “pioneiros” na área e que novas máquinas devem surgir assim que os ultrabooks saírem do papel e do anúncio e chegarem às prateleiras das lojas. Por enquanto, o Serie 9 chega ao Brasil nos próximos dias por R$4.999 — preço levemente maior do que o MacBook Air de 13″, mas com uma configuração superior. Resta saber: você se interessa por uma máquina dessas — móvel e veloz — ou ainda acha que 5 mil reais é muita coisa e prefere esperar os ultrabooks?