Em setembro, um trem em Nova Jersey, nos Estados Unidos, que invadiu uma plataforma da estação Hoboken matou uma brasileira e deixou centenas de feridos. De acordo com o advogado do condutor da composição, seu cliente, Thomas Gallager, tinha um caso grave e não diagnosticado de apneia de sono.

Motorista que morreu em acidente com o Tesla Autopilot estava em alta velocidade, diz relatório
Shopping suspende uso de robôs de segurança após acidente com criança

A apneia de sono, que dificilmente é diagnosticada pois exige um teste de noite de sono, é uma condição na qual a respiração pode parar enquanto uma pessoa dorme, fazendo com que ela fique sonolenta no dia seguinte. Esta é a mesma condição dada como causa de um outro acidente de trem em 2013 que matou 4 pessoas.

“Esta explicação faz sentido, pois pelo o que observamos nos atos do condutor antes da colisão, ele fez todo o processo normalmente”, disse Jack Arseneault, advogado de Gallager, ao The New York Times. “Ele verificou a velocidade, assoprou o apito, tocou o sino e, a próxima coisa que ele sabia é que estava no piso correto.” Arseneault disse que Gallager muito provavelmente sofria de apneia de sono, pois ele é um “homem extremamente pesado”.

This Oct. 1, 2016, photo provided by the National Transportation Safety Board shows damage done to the Hoboken Terminal in Hoboken, N.J., after a ccommuter train crash that killed one person and injured more than 100 others last week. NTSB vice chair T. Bella Dinh-Zarr said the NTSB is hopeful the data recorder that is in the cab control car in the front of the train is functional. That recorder hasn't been recovered yet because that part of the Hoboken station is still too dangerous to enter due to debris/compromised structure. (NTSB photo by Chris O'Neil via AP)

Local atingido por composição na estação Hoboken, em Nova Jersey (EUA). Imagem: Chris O’Neil/NTSB photo via AP

Apenas a brasileira Fabíola Bittar de Kroon, 34, que estava parada na plataforma, morreu no acidente, e várias pessoas ficaram feridas. O resultado dos testes de apneia de sono de Gallager foi enviado para investigadores federais no mês passado.

Este acidente vai provavelmente reacender o debate para desenvolvimento de um sistema que diminua a velocidade dos trens quando eles se aproximam de uma estação — algo que o atual sistema de Nova Jersey não tem. Sem contar a retomada de atenção relacionada a apneia de sono em ambientes de trabalho críticos.

[New York Times]

Foto do topo por Chris O’Neil/National Transportation Safety Board via AP