Esperando que a conscientização sobre a Covid-19 chegue a todos os lugares, a Organização Mundial de Saúde (OMS), em parceria com a Psyon Games, a UNICEF Finlândia e Gavi –The Vaccine Alliance, parceria global de saúde com o objetivo de aumentar o acesso à imunização nos países em desenvolvimento, criou um jogo de celular para ensinar informações científicas sobre o coronavírus de forma simplificada.

E não é que é legal?

A ideia é incentivar parte da população que ainda resiste à vacina, além de verificar as fake news. Nesse game, chamado Antidote (antídoto, em inglês), o usuário é recrutado antes mesmo do começo da pandemia para ajudar a interromper a transmissão da Covid-19. Para isso, precisa desenvolver vacinas e ajudar o sistema imunológico a lutar contra a invasão do vírus. 

Sentido edificante

No comunicado divulgado pela OMS, a organização esclarece que, baseada em eventos reais, esta aventura online leva o indivíduo à linha de frente da ciência, promovendo informações que podem salvar vidas. 

O game tem o objetivo de espalhar duas mensagens importantes: em primeiro lugar, vacine-se; em segundo lugar, aprenda os fatos para combater a desinformação. Ao comunicar essa mensagem por meio de um jogo para celular, eles esperam chamar a atenção da população, em especial dos jovens.

Assine a newsletter do Gizmodo

Olli Rundgren, CEO da Psyon Games, disse no boletim à imprensa que agora, mais do que nunca, chegar às pessoas com informações confiáveis ​​em seus canais preferidos é um ato de saúde e segurança pública. “Os jogos são os meios de comunicação mais envolventes e mensuráveis. Acreditamos que o poder dos jogos pode contribuir fortemente para resolver este grande desafio do nosso tempo”, disse.

A novidade já está disponível nos dispositivos iOS e Android.