"Por anos, sem ninguém realmente perceber, a indústria de PCs tem funcionado como uma empresa automobilística fabricando SUVs: empurrando máquinas absurdamente poderosas porque as margens de lucro eram altas, enquanto os consumidores compravam a fantasia de que poderiam andar no meio das trilhas, no mato, apesar de nunca terem o feito. Então os programadores usaram essa sobra de poder de processamento para fazer aplicativos e sistemas operacionais que consumiam cada vez mais. O que os fabricantes de netbooks fizeram, na real, foi voltar o relógio. Suas máquinas têm a mesma performance de laptops de 4 anos atrás. Só que, a gente percebe agora, que 4 anos atrás não faz muita diferença". 

Thompson diz que tem dois ícones no seu Netbook, usado para escrever a matéria: a lixeira e o Firefox. Ele consegue fazer quase tudo no browser. Músicas no last.fm, IM no Meebo.com, edição de textos no Google Docs, imagens no Fotoflexer… A tal da nuvem. Falando nela, o cara da Wired nota como os netbooks fizeram a Microsoft voltar atrás na decisão de aposentar o XP, preferindo ganhar apenas US$ 15 por sistema embarcado nos pequeninos. Dado o novo cenário, fazer com que o Windows 7 seja compatível com sistemas menos parrudos é prioridade.

E é engraçado isso. Ano passado eu escrevi pra um especial de tecnologia da Superinteressante um artigo chamado "o fim do notebook". Mais para começar o debate. Porque para mim, na real, o fato de as pessoas se contentarem com os Eee PCs, MSI Wind e Mobos (7% do mercado de laptops, 15 milhões de unidades) mostram que elas precisam sequer de um computador. "Esqueça a placa mãe. Por que não fazer logo uma telinha e um chip de rádio de 2 ou 5 dólares?" Sim. Porque, no futuro, até o processamento estará na rede. A AMD está trabalhando em uma fazenda de servidores (server farm é mais charmoso) que irá rodar os jogos high end, transmitindo o visual e recebendo os controles de unidades portáteis. "Agora imagine você com servidores rodando Crysis, e mandando por stream para um iPhone ou netbook, onde estaria rodando um programa apenas com os vetores que permitem você navegar o jogo "

 

Tudo isso é para perguntar a vocês: um netbook, com uma tela de 7 ou 9 polegadas, HD SSD e Linux (ou XP) é suficiente para suas necessidades? Você concorda que o povo comprou poder de processamento demais sem ter muito uso? Ou a sua máquina PRECISA rodar Crysis e só perdedores como eu acreditam que comprar um videogame é mais barato que manter um computador atualizadíssimo? Os netbooks são moda ou vão mudar? O Ronaldo vai emagrecer mais? Vamos conversar nos comentários.