A capital da Coreia do Sul está planejando criar chuva artificial em resposta à poluição severa.

Os níveis de partículas em suspensão de Seul, um poluente perigoso que pode se incorporar aos pulmões das pessoas e causar danos permanentes têm estado acima do padrão saudável de 35 microgramas por metro cúbico nos últimos dias, de acordo com o sistema de monitoramento de ar do país, AirKorea.

Os níveis de partículas em suspensão subiram drasticamente para praticamente 200 microgramas por metro cúbico na quarta-feira. Na sexta, a qualidade do ar tinha melhorado só ao ponto de estar dentro do padrão de saúde, mas o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, anunciou que ele irá seguir com o plano de criação de chuva artificial porque os níveis de poluição do país têm piorado nos últimos anos.

O presidente espera colaborar com a China nesse projeto porque muito da sujeira vem de fontes chinesas que enviam poluentes para a Coreia do Sul. No entanto, a poluição do ar local vinda de antigas usinas de carvão também contribuem. A AccuWeather informa que a chuva artificial vai cair sobre o Mar Amarelo, que fica entre os dois países.

Não está claro exatamente quando os governos irão alimentar as nuvens para que produzam chuvas, mas autoridades coreanas estão acelerando o fechamento de usinas de carvão no meio tempo. A cidade de Seul tem estado em estado de emergência e com limitações de veículos nas ruas, segundo a AlJazeera.

A poluição do ar era tão ruim que os moradores de Seul precisaram usar máscaras faciais em janeiro para ajudar a se proteger. Foto: AP

Tudo isso soa bem familiar: Bangkok, na Tailândia, utilizou chuva artificial em janeiro para resolver seus problemas de poluição do ar. A solução não pareceu funcionar tão bem: uma semana depois, escolas fecharam devido à má qualidade do ar.

O processo envolve “semear” a atmosfera com partículas que promovem a formação de nuvens. Em tese, isso deve ajudar a dispersar a poluição quando a chuva cai, mas a eficácia do processo permanece incerta.

O que está claro é que essa região do mundo lida com problemas de poluição do ar com muita frequência. Uma análise do Air Quality Life Index, divulgado na quarta-feira, descobriu que a poluição do ar na Tailândia está reduzindo a expectativa de vida em mais de dois anos. Na Índia, onde o nevoeiro de poluição causou acidentes fatais em 2017, foram registrados US$ 35 bilhões em perdas econômicas, conforme revelou um estudo divulgado na segunda-feira.

A situação é horrível, mas pelo menos as autoridades finalmente estão começando a abordar os impactos dessa poluição. Talvez a chuva artificial ajude Seul temporariamente, mas esperamos que a cidade também invista em algumas ações de longo prazo.