Cosmonautas russos estão se preparando para fazer uma caminhada espacial sem precedentes para inspecionar um buraco misterioso na parte externa da cápsula Soyuz. O procedimento, que pode levar ao todo seis horas, começou a ser feito agora à tarde por membros da tripulação.

Agência espacial russa diz que vazamento na Estação Espacial Internacional foi causado por erro humano
Detectaram um pequeno vazamento de oxigênio na Estação Espacial Internacional

Como reporta a agência russa de notícias TASS, os cosmonautas Oleg Kononenko e Sergei Prokopyev observarão o exterior da cápsula Soyuz MS-09, que está acoplada à ISS (Estação Espacial Internacional). Em 29 de agosto, um pequeno vazamento de ar foi detectado dentro da estação, que foi resultado de uma microfissura de 2 milímetros no casco da espaçonave Soyuz. O incidente não representou riscos para os astronautas, e o buraco foi rapidamente corrigido. No entanto, eles não sabem ainda o que causou o buraco — e o incidente causou certa controvérsia.

A caminhada espacial, que começou por volta das 14h (horário de Brasília) está sendo transmitida ao vivo pela NASA.

Inicialmente, pensava-se que o buraco foi causado pelo impacto de um micrometeorito, mas uma inspeção deu conta de que o problema talvez tenha sido causado por “uma mão vacilante”, conforme dito por Dmitry Rogozin, CEO da Roscosmos (agência espacial russa), dias após o incidente. Rogozin informou que existem indícios de que há traços de uma broca deslizando ao longo da superfície.

“O chefe da Roscosmos disse que o defeito pode ter ocorrido na Terra durante o processo de fabricação, mas ele não descartou outras possibilidades, como o fato de o problema ter sido causado por um astronauta. Após estes comentários, a mídia russa começou a fundamentar a teoria de que a NASA teria sabotado de propósito a ISS, conforme reporta o Ars Technica.

O buraco detectado na cápsula Soyuz. Crédito: NASA

Para a caminhada espacial desta terça-feira, Kononenko e Prokopyev inspecionarão a superfície externa da cápsula na área ao redor do buraco. A missão será “sem precedentes por sua complexidade”, informou Rogozin em um tuíte. Para analisar a área, os cosmonautas terão de temporariamente tirar o isolamento térmico e o escudo de meteorito que protege a cápsula. O plano de “abrir o escudo de meteoritos da espaçonave será realizado no espaço pela primeira vez na história da cosmonáutica”, relata a TASS.

Quando a área estiver exposta, os cosmonautas irão fazer uma inspeção visual da área e tirar fotos. Eles também vão coletar algumas amostras da superfície ao redor do buraco e trazê-los de volta para análise na ISS. A cápsula Soyuz está agendada para voltar à Terra em 20 de dezembro.

Estamos de dedos cruzados para que tudo aconteça bem durante o procedimento, e que a Roscosmos e a NASA possam colocar logo um ponto final neste infeliz episódio.

[New York TimesTASS]