O booklet Courier, da Microsoft, surpreendeu muita gente – em grande parte porque parece ser algo muito além do que as pessoas esperam de um tablet. Este vídeo interno mostra como a Microsoft acha que usaremos o Courier.



Desde a divulgação do primeiro vazamento, muita gente chegou com mais detalhes do projeto.

Esse vídeo foi produzido pela mesma empresa que colaborou com o Pioneer Studios, da Microsoft, no primeiro clipe e mostra aplicações um pouco diferentes (e mais conservadoras/realísticas) da interface do Courier. Enquanto o primeiro vídeo dava uma geral em vários exemplos de uso, esse fornece uma visão melhor da interface e dos recursos do Courier, mostrando como você poderia usá-lo (mesmo que não seja um designer).

O coração do Courier parece ser o que é chamado de “infinite journal”: um bloco de notas ou diário (journal) infinito, limitado apenas por restrições de armazenamento (presumivelmente). O nome poderia ser menos estranho. O journal poderia ser publicado online e baixado em três formatos: um arquivo do Courier, PowerPoint ou PDF. Há também uma biblioteca que lembra o Delicious Library, em que coisas como assinaturas, notas e aplicativos são armazenadas.

Essa interface tem algumas coisas em comum com a do outro vídeo: a dobradiça entre as telas ainda é usada como um bolso para guardar itens que você quer mover de uma página a outra. A entrada de dados é quase exclusivamente feita com a caneta: em quatro minutos de vídeo, não é exibido teclado virtual algum. Dedos ainda são usados apenas para navegar por meio de gestos variados.

A interface tem mais elementos tradicionais do que a do primeiro vídeo, com uma aparência mais Microsoft (fontes e barras de título) e menos da estética totalmente escrita à mão: agenda inteligente, sistema de pastas mais definido, busca universal e navegação da web com múltiplas páginas. Passa uma impressão de ser mais evoluído e refinado e menos enrolado, o que sugere ser algo mais recente.

Ele também começa a focar nas prioridades do Courier – e possíveis limitações: mostra a biblioteca e o navegador da web, mas quase nada de visualização de conteúdo – como filmes, livros ou música. O Courier, nessa iteração, parece ser voltado a criar e escrever com uma caneta, o que é muito diferente do que todo mundo espera de um tablet da Apple.

Esperamos ter mais novidades sobre a interface do Courier nos próximos dias, então continue ligado.