Pela primeira vez, cientistas identificaram um caso de Covid-19 em humano que parece ter se desenvolvido após o contato do paciente com um cervo infectado. O episódio ocorreu no Canadá e continua sob investigação. 

Até então, era consenso entre pesquisadores que o Sars-CoV-2 podia ser passado entre animais da mesma espécie ou de humanos para animais. O contrário ainda não havia sido mostrado.

Cientistas canadenses coletaram amostras do nariz e linfonodos de 298 veados-de-cauda-branca que foram caçados no sudoeste de Ontário. Destes, 17 testaram positivo para uma “linhagem nova” do coronavírus.

Após o resultado, os pesquisadores resolveram buscar pela linhagem única em humanos. No processo, encontraram uma pessoa infectada por uma cepa semelhante e que havia tido contato com cervos, sugerindo que o vírus pulou do animal para o paciente.

O mais curioso da história é que o parente genético mais próximo dessa variante veio de amostras coletadas em humanos e visons de Michigan, nos EUA, dois anos atrás. O estudo ainda não foi revisado por cientistas independentes e publicado em uma revista científica. Mas uma prévia do artigo foi publicada na plataforma bioRxiv

Este é um caso isolado que não deve causar grandes preocupações. De toda forma, os cientistas alertam para os cuidados que os humanos devem ter ao interagir com animais selvagens, já que o risco existe.

Não se sabe como o cervo contraiu o vírus causador da Covid. Porém, assim como os humanos, essas outras espécies também podem atuar como reservatórios do patógeno, permitindo que ele sofra mutações e se torne mais contagioso ou mortal.