Um levantando feito pela Info Tracker, plataforma de monitoramento da pandemia ligada à USP e à Unesp, que compilou dados a pedido do UOL, aponta que seis em cada dez mortos e internados em decorrência da Covid-19 no Brasil não tomaram a terceira dose da vacina. As informações se referem aos meses entre março a junho de 2022.

No período, 30 mil pessoas foram internadas por conta da doença. Dessas, 65% não haviam tomado a terceira dose. Também foram registradas internações de pessoas que receberam o reforço (34,7%), mas a maior parte delas havia tomado a vacina em 2021, o que reafirma a importância de uma quarta dose em 2022.

O número de óbitos segue o mesmo padrão: 67% das pessoas que morreram em decorrência da doença não haviam recebido a terceira dose. Do total, 32% dos pacientes falecidos chegaram a receber a terceira dose, mas apenas 5,9% tomaram o reforço nos últimos seis meses.

Os dados indicam que 68% das pessoas internadas entre março e junho tinham algum tipo de comorbidade. O percentual sobe para 80% quando falamos em mortes. Como no início da pandemia, os idosos continuam sendo os principais afetados, representando 64% das internações e 82% dos óbitos.

Menos de 50% da população brasileira que pode ser vacinada (maiores de 5 anos) recebeu a terceira dose do imunizante. Enquanto isso, diversos estados já oferecem a quarta dose, ou segunda dose de reforço para pessoas com mais de 40 anos. 

Nas últimas duas semanas, o Brasil enfrentou uma alta de casos de Covid-19 de 30%, enquanto a média móvel de mortes já passa de 200. A testagem, o uso de máscaras e a manutenção do esquema vacinal são os principais aliados na luta contra a pandemia.