Toda empresa de cosméticos no planeta diz ter um produto que reduz as rugas e elimina os sinais de envelhecimento, mas nem sempre cumprem a promessa. Enquanto isso, cientistas inventaram um novo creme que cria uma camada extra de pele artificial invisível para suavizar a pele natural de quem a usa.

Pesquisadores do MIT e Harvard desenvolveram a ciência que dá base ao material, e uma empresa privada de biotecnologia chamada Living Proof fabricou a película em si.

A XPL (camada de polímero com ligações cruzadas) é aplicada num processo simples de duas etapas que cria resultados bastante milagrosos. A primeira camada é composta de polisiloxano, enquanto que a segunda é um catalisador de platina, fazendo com que os polímeros da primeira camada se liguem e formem uma película forte – ela pode ser lavada e aguenta outros desgastes por até 24 horas.

segunda pele (1)

As aplicações dessa película vão além de se livrar das rugas, no entanto. Ele pode fornecer medicamentos de forma segura através da pele durante 24 horas, e pode proteger a pele do usuário, particularmente em áreas com feridas. Além disso, a XPL pode reduzir a perda de umidade.

Mas o consumidor médio, especialmente se estiver numa idade mais avançada, provavelmente ficará mais animado sobre o uso potencial do creme como uma maneira fácil de suavizar rugas e retirar alguns anos da aparência. A pesquisa foi publicada hoje na revista Nature Materials.

Em seu auge, a pele humana natural pode ser esticada em cerca de 180% e ainda assim voltar ao seu estado original. Enquanto isso, a pele artificial do MIT pode ser alongada em mais de 250%, sem ficar flácida nem danificada.

Com o tempo, a pele humana perde a capacidade de se alongar, resultando em efeitos indesejados como bolsas sob os olhos. Mas nos testes, os pesquisadores descobriram que uma aplicação do material XPL foi capaz de comprimir áreas de pele solta sob os olhos das pessoas, dando a elas uma aparência mais jovem ao reduzir efetivamente as bolsas.

Não se sabe quando esse material mágico vai aparecer nas prateleiras de sua farmácia ou em infomerciais na TV a cabo. A Living Proof criou uma nova empresa chamada Olivo Laboratories para desenvolver a XPL, e ela planeja refinar e testar o creme. No futuro, a startup planeja lançá-lo no mercado. Quanto aos cientistas do MIT e de Harvard que fizeram a pesquisa, todos eles têm participação de capital e podem ficar muito ricos com este creme de rugas.

[MIT News]

segunda pele (1)
Imagens por Melanie Gonick/MIT e Olivo Labs