Jackson Palmer, co-criador da criptomoeda Dogecoin (DOGE), quebrou um hiato de quase dois anos das redes sociais para alertar os usuários e compradores de sua criação. Para ele, a criptomoeda, assim como todas as outras moedas digitais, sempre foi uma grande farsa.

“Depois de anos estudando isso, acredito que a criptomoeda é uma tecnologia hiper-capitalista inerentemente de direita, construída principalmente para amplificar a riqueza de seus proponentes por meio de uma combinação de evasão fiscal, supervisão regulatória reduzida e escassez artificialmente imposta”, escreveu Palmer na tarde desta quarta-feira, em sua conta pessoal no Twitter.

Palmer não é muito de usar as redes sociais. Depois de bombardear seu canal no YouTube e tornar privado seu perfil no Twitter em meados de 2019, o engenheiro de software não deu mais sinal de vida nas plataformas — nem mesmo quando os preços da moeda meme atingiram níveis recordes no início deste ano. Por isso, as declarações de Palmer chamam atenção porque mostram uma crítica não apenas à concorrência, mas também do próprio Dogecoin.

Palmer disse ainda que, embora os maiores fãs da criptomoeda muitas vezes apontem para ela como uma alternativa equitativa aos Grandes Bancos por causa da natureza descentralizada da moeda, a verdade é que os dois compartilham o mesmo problema: pessoas ricas. Como ele (com razão) observou, a maior parte da comunidade de criptomoedas é controlada por “um poderoso cartel de figuras ricas” que estão transformando as finanças descentralizadas em um sistema que beneficia amplamente os que estão no topo.

As criptomoedas, em geral, tiveram um ano para ninguém botar defeito. O Bitcoin, por exemplo, atingiu um pico de preço de US$ 63 mil em meados de abril, antes de cair um mês depois para cerca de US$ 30 mil. Enquanto isso, cada Dogecoin saltou de US$ 0,06 para mais de US$ 0,68 — e em seguida também despencou. O tempo todo, é claro, o valor da criptomoeda permaneceu discutível.

Assine a newsletter do Gizmodo

Mesmo que você discorde do que Palmer está dizendo, há sentido na fala do co-criador do Dogecoin. Um dos muitos traços terríveis da comunidade de criptomoedas que Palmer aponta é que, ”mesmo a crítica mais modesta da criptomoeda atrairá manchas de figuras poderosas no controle da indústria”. Palmer ainda declarou que não pretende mais se envolver em discussões sobre criptomoedas, pois “é quase impossível manter um debate saudável” sobre elas.