Você pode achar que é bem divertido postar a foto de um jantar no Instagram antes de comê-lo, mas o ex-ladrão de identidade Nathaniel Troy Maye certamente discordaria: por fazer exatamente isso, ele foi preso.

Ele formava uma dupla de ladrões com Tiwanna Tenise Thomason. Na Flórida (EUA), uma testemunha que trabalhava disfarçada com o IRS (Receita Federal americana) jantou com o casal, e comprou um pendrive que teria 50.000 identidades.

No pendrive, além de encontrarem só 50 identidades, investigadores descobriram metadados fazendo referência a “Troy Maye”. Isso os levou à conta no Instagram de mesmo nome (agora privada), que tinha a foto abaixo da mesma refeição que Troy comeu no jantar com a testemunha, no mesmo restaurante e horário.

Steak picture used to ID suspectA foto de um bife e um pouco de macarrão com queijo é apenas uma das provas de que ele cometia falsidade ideológica. Afinal, Nathaniel postou fotos de si mesmo no Instagram, que a testemunha pôde facilmente reconhecer.

Junto a outras informações obtidas a partir da conta no Instagram, os investigadores conseguiram encontrar e prender o casal, além de apreender uma coleção de 55 mil identidades roubadas.

Há alguns meses, Nathaniel e Tiwanna eram ladrões bem-sucedidos, oferecendo o que eles alegavam ser uma coleção de 700 mil identidades roubadas. Agora, eles podem receber até 12 anos de prisão, depois que confessaram ser culpados em um tribunal federal de Fort Lauderdale (EUA) nesta sexta-feira.

Que isso sirva de lição para você sobre instagramar fotos de comida em reuniões de negócios, especialmente se esses negócios são ilegais e podem colocar você na cadeia. [South Florida Sun Sentinel via Fark]