A Grécia está em uma crise econômica que impede o país de pagar bilhões de euros em dívida a seus credores. Para evitar um colapso do sistema bancário, o governo implementou um limite de saque diário de € 60 e proibiu transferências para o exterior.

Isso significa que quem está na Grécia não pode pagar por serviços na nuvem do Dropbox, Google Drive e iCloud, nem pode realizar pagamentos no PayPal que envolvam conversão de moeda.

Desde 29 de junho, cartões de crédito emitidos na Grécia não podem ser usados ​​para fazer pagamentos no exterior. E, como explica a Reuters, empresas de tecnologia costumam vender serviços na Europa através de filiais no Luxemburgo e na Irlanda, para pagar menos imposto.

Por isso, os gregos vêm relatando que os pagamentos a serviços como Dropbox e iCloud não estão sendo processados. A Apple avisa: “se nós não conseguirmos renovar a sua assinatura, sua conta será rebaixada para o espaço gratuito de 5 GB”.

Isso cria uma dor de cabeça: Apple, Google e Dropbox não apagam seus arquivos caso você deixe de pagar a assinatura, mas todos seguem o mesmo procedimento – eles interrompem a sincronização em seus dispositivos. Por exemplo, o Dropbox diz o seguinte:

Fazer downgrade para uma conta do Dropbox menor não resulta em exclusão de nenhum dos arquivos já existentes. Saiba que o Dropbox não irá excluir nenhum dos seus arquivos quando fizer downgrade de sua assinatura. Caso após o downgrade o espaço ocupado por sua conta esteja acima de sua cota, a única coisa que vai acontecer é que seus arquivos não serão mais sincronizados entre os dispositivos conectados.

Serviços como o iTunes e o Google Play não permitem a compra de apps, músicas e outros itens. Além disso, usuários do iOS estão tendo dificuldades em baixar e atualizar apps porque o cartão de crédito deles não é mais aceito.

O Facebook também não aceita cartões de crédito da Grécia: “eu tentei pagar € 3 para um pequeno anúncio, mas o meu cartão foi imediatamente rejeitado”, diz à Reuters o consultor de e-commerce Panayotis Gezerlis.

O controle de capitais é um problema para o PayPal. Alguns serviços continuam disponíveis na Grécia – é possível receber pagamentos, por exemplo – mas transações internacionais e certos métodos de pagamento continuam indisponíveis por enquanto.

Até mesmo o serviço de táxi Taxibeat, que foi fundado na Grécia mas opera internacionalmente, avisou que iria oferecer um sistema alternativo de pagamento em breve. Como nota o Quartz, nenhum método de pagamento escapa das transações bancárias à moda antiga.

Bitcoin?

Algumas pessoas vêm sugerindo que o Bitcoin poderia ser uma alternativa interessante para a Grécia, já que a moeda virtual não depende de governos e consegue driblar qualquer limite imposto a transferências para o exterior.

Infelizmente, a realidade não é tão simples assim. A CNN Money explica:

Em primeiro lugar, é incrivelmente difícil obter bitcoins… o método mais comum – comprá-los em um mercado online – requer o envio de uma transferência bancária em um banco. Mas os bancos na Grécia estão fechados.

Não é algo impossível, no entanto. A casa de câmbio Bitcoin.de disse que alguns gregos estão conseguindo obter bitcoins porque ainda têm acesso ao online banking. Enquanto isso, a LakeBTC disse que gregos podem tentar encontrar “LakeBankers” locais que estão dispostos a vender parte de seu estoque de bitcoins usando dinheiro em espécie ou PayPal.

O segundo desafio? Não há muitas maneiras de gastar bitcoins na Grécia. De acordo com um registro público, o BitcoinMaps, há apenas meia dúzia de pontos em Atenas que aceitam a moeda virtual como pagamento. Entre eles está um restaurante familiar chamado Angel Tavern, um cirurgião de cabeça e pescoço, e uma empresa de aluguel de iates.

Os gregos vêm demonstrando maior interesse no bitcoin desde que a Grécia limitou o acesso a dinheiro e transferências. No entanto, o volume de transações realizadas no país ainda parece bem limitado: “é realmente difícil saber quanto movimento no bitcoin a Grécia está realmente causando, e quanto disso é apenas especulação de fora”, diz Jesse Powell, CEO da casa de câmbio europeia Kraken, ao CoinDesk.

A Grécia corre o risco de dar calote na dívida externa, e poderia sair da zona do euro. Neste domingo, os gregos votaram em um referendo e disseram “não” a medidas de austeridade exigidas pelos credores, que incluem a União Europeia, o Banco Central Europeu e o FMI.

Aquela campanha de crowdfunding para pagar a dívida da Grécia com o FMI arrecadou mais de R$ 6,5 milhões. O objetivo é chegar a inalcançáveis R$ 5,5 bilhões; o prazo acaba hoje.

[ReutersBloombergBuzzFeedCNN MoneyCoinDesk]

Foto por Emilio Morenatti/AP