Cientistas da Universidade de Indiana nos EUA demonstraram a incrível densidade e força molecular de uma estrela de nêutrons, algo que, como todos vocês astrônomos amadores sabem, é o resto de um colapso gravitacional de uma estrela durante uma supernova. A pesquisa teve início por causa da preocupação de que a atração gravitacional intensa destes corpos poderia provocar ondulações no espaço-tempo, mas ela poderia levar a uma nova compreensão sobre tremores estelares ou gigantes erupções de uma magnetar.

Ou seja, da próxima vez que você ajeitar os seus óculos sobre seu nariz e quiser lançar um insulto esotérico contra seu parceiro de laboratório, pense em “tão denso quanto uma estrela de nêutrons”. [Eureka via Crunchgear]